#

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Setembro

Sempre adorei o mês de Setembro por tudo o que significa para mim. Dos doze é o meu favorito do ano. Mais que Janeiro, Setembro sempre significou novos começos, novos planos, novos objectivos, novos sonhos. Enquanto cachopita, marcava o inicio de um novo ano escolar. E era a ansiedade de voltar a ver os colegas, o cheirinho a livros novos, o material escolar novo e a roupa nova para estrear. Foi, também, em Setembro que fiz as três cadeiras que faltavam para ter a minha licenciatura e para me sentir mais completa e realizada. O tempo de escola já lá vai, mas a magia do mês de Setembro mantém-se. Não fosse o meu mês, o mês do meu aniversário, e o Natal estar bem mais próximo. Este ano, então, passou a ter um significado ainda maior já que foi neste mês que disse "sim" em frente ao altar.
Setembro é isto, mas muito mais. É como um renovar de alma. Talvez pelas férias que antecedem, é nesta altura que me sinto mais fresca e com mais energia e garra para enfrentar os últimos meses do ano. Depois, é a mudança de estação. É a chegada do Outono. É o entusiasmo de renovar o guarda-roupa. Trocar as peças frescas pelas quentes. São as novidades que nos despertam os sentidos. São os dias que começam a ficar mais pequenos e mais frios. São as folhas no chão. É o chocolate quente que aquece a alma. São os fins-de-semana de volta da manta, de um bom filme ou de um bom livro. Oh, como eu gosto de chegar a Setembro! E, vai-se a ver, Setembro já se acabou. Mas o espírito mantém-se. Porque o Outono mal começou e o Natal ainda não chegou. Os sonhos permanecem e há todo um caminho pela frente. Que Outubro seja tão doce como Setembro. 

Este, é o novo cheirinho que acompanha a minha pessoa, não fosse Setembro um mês de mudança e de novos começos.

24-09-2013 15-51-22

Foi o melhor que se arranjou #161

Trinta de Setembro. Como o tempo passa! Ainda ontem andava às voltas com os preparativos para o casório e, hoje, estou aqui, uma mulher casada. Uma senhora (creeeeedo q'isto soa tão mal!!)! Setembro chega ao fim e o Verão também já lá vai. Sinto que passou por mim sem que eu desse conta. Mas assim que o pude aproveitar...soube a mel.
Agora, é hora de deixar o Outono entrar. É hora de sentir a frescura dos dias e saborear a beleza das folhas caídas pelas ruas. Sou pessoa muito dada ao tempo quente, mas a magia do Outono encanta-me. É aquela estação que nem é carne, nem é peixe, mas eu gosto. É a transição. Não está calor, mas também não está aquele frio de rachar. E é a nova-colecção. São as novidades da roupa mais quentinha que nos fazem desejar cada vez mais os dias frios. Para já, ainda está sol, mas já se sente aquela brisa de Outono. É nesta altura que gosto de misturar peças quentes com peças mais à Verão. Já não apetece tanto andar com o pezinho ao léu e andar só em t-shirt também já não é a melhor opção. Mas ainda dá para andar com a perna à mostra. E o que eu gosto da irreverência de um blazer mais à Inverno combinado com uns calções a lembrar o Verão? Gosto muito.
Este look acaba por ser simples. Blazer preto, t-shirt branca e calções de ganga é das combinações mais básicas. Mas o chapéu e o colar dão o toque que falta para dar logo outra graça ao look. Depois, é a cor dos botins que acho que dá um bonito contraste. E foi assim, desta forma mais descontraída, que passei o último domingo de Setembro.


P.S.: As fotos não estão com a qualidade do costume devido a um pequeno erro técnico, que só demos conta ao ver as fotos no computador, mas...acho que escapa!

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Honeymoon #2

Mykonos, que significa "ilha branca", não por acaso. Se a tivesse de caracterizar em poucas palavras seriam: vento, branco e portas coloridas. Já sabia que a ilha era conhecida por ser o destino gay mais procurado, mas não a conhecia por ser ventosa. Mal chegámos ao porto fazia cá uma ventoooosa, jasus senhor!! O segredo para fugir ao vento é rumar para sul. Quanto mais a sul estivermos, menos vento temos (daí serem as praias do sul as mais visitadas).
O nosso hotel, Hotel Porto Mykonos, estava muito bem localizado, mesmo a dois minutos a pé da capital da ilha, Chora. Adorei aquela pequena vila. Muito amorosa e bastante encantadora. Chora, é um verdadeiro labirinto de ruelas, com calçada em pedra, onde todas as casas são brancas. O que lhe confere imenso charme são as imensas portas coloridas (cada porta, cada foto :D) e as varandas floridas.
É aqui, na principal vila da ilha, que se concentram imensos bares, restaurantes e as mais variadas lojinhas. Não fomos na época alta mas, ainda assim, a ilha mostrou ser bastante cosmopolita e animada. As ruelas estavam sempre apinhadas de pessoas!
A mascote da Ilha é Petros, o pelicano, que se encontra num dos museus da vila (infelizemente, não conseguimos ir visitar), mas, segundo dizem, existem outros substitutos que circulam pelas ruelas, embora, não tenhamos visto nenhum. Caso não tivesse conhecimento deste facto, diria que a mascote da ilha era o gato. É que há deles por todos os cantos e esquinas, todos muito pequeninos e magrinhos, e até dentro do hotel andavam.
Para além das imensas praias paradisíacas, que são a principal atracção turística, existem outros pontos da ilha a visitar. Os moinhos de vento são o cartão de visita de Mykonos e é um local que oferece uma vista muito bonita. A zona a que chamam de Little Venice, tratando-se de um conjunto de casas construídas no século XVI banhadas pelo mar, também é um ponto de passagem obrigatória.
Estivemos três dias na ilha, mas mais dois ou três não faziam mal nenhum. Gostava de ter tido mais tempo para visitar outras praias e para fazer um passeio de barco à ilha histórica de Delos e visitar, por exemplo, as ruínas da casa de Cleopatra. É por estas e por outras que não me importava nadinha de repetir a viagem (aiiiii, suspiros, suspiros, suspiros). Vamos às fotos? Primeiro, vou mostrar-vos um pouquinho de Chora e da zona ali à volta. No próximo post, mostro-vos as praias.

A piscina e vista do nosso hotel.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

É no que dá ser boua, boua, mesmo bouua (tipo as gajas de Ermesinde)

Pois que parece que anda por aí uma alminha com problemas existenciais e anda a fazer-se passar pela minha pessoa aqui na blogosfera (euuuu sei lá se é o chinês ou o car*lho). Se por um lado, fico extremamente maravilhada ao verificar tamanha importância da minha ilustre pessoa e o meu ego fica aos saltos de excitação, por outro, fico esganada de raiva por saber que existem pessoas tão baixas, tão reles, tão idiotas, tão anormais, tão sei lá eu mais o quê.

Desta forma, quero pedir-vos que tenham em conta esta lamentável situação. A criatura assina o comentário em nome de "A Gata de Saltos Altos" e coloca o link aqui do estaminé, no entanto, não aparece a imagem do blog no respectivo comentário (nem podia) e é aí que podem perceber que não sou eu que estou a fazê-lo. E, também, no próprio teor do comentário facilmente se percebe que não sou eu.
Não sei bem qual é o objectivo desta pessoa (ou então sei), mas sempre ouvi dizer que "quem mal anda, mal acaba". #ficaadica

Agradeço, mais uma vez, à Inês do "Amigas do Closet" por ter ficado com a pulga atrás da orelha e me ter alertado. É bom ver que há quem já nos conheça minimamente.


P.S.: Só mais uma pequena palavrinha, especialmente, para quem gosta de ir falar da minha pessoa em blogs alheios (obrigada Ana pelo alerta). Registe só, hã.
O meu nível de parolice, bimbice, o que lhe queira chamar, é grande, mas ainda não me dá para usar botas-à-Dartacão-versão-espanta-espíritos. É um bocadinho too much para o nível da minha parolada, capixe? E eu até gosto de ver que se preocupa comigo e com as minhas inspirações, a sério que gosto, mas... Que tal preocupar-se com a sua própria pessoa, hum? Veja-se ao espelho e analise bem se está a aprender direitinho com as suas doutas inspirações, e se estão a fazer realmente alguma coisinha por si. Quanto a mim, não perca mais o seu tempo e preocupe-se, sim, com o que é da sua conta. Adoro inspirar-me, adoro sim, mas não é a senhora nem ninguém que me diz onde e quando. Depois, há um aspecto muito importante. Gosto de inspirar-me, mas gosto mais ainda de adaptar tudo ao meu gosto, à minha PESSOA, e, claro, às minhas possibilidades. Não uso isto ou aquilo só porque A, B ou C usam. Há uma coisa muito bonita chamada, oh oh oh, per-so-na-li-da-de. E isso, minha senhora, nem as inspirações da sua heroína a salvam, porque ou se tem, ou não se tem. Posto isto, evite comparar-me porque eu sou EU, quer goste ou não (e oh pa mim ralada com isso). Beijinho (felino, ah! ah! ah!) no ombro
24-09-2013 15-51-22

Noiva à beira de um ataque de nervos #20: as músicas.

Eu sei que agora o tempo de antena devia ser para a viagem ao paraíso grego, mas estou, e passo a expressão, a ver-me grega para seleccionar as fotos (que são lindas, lindas, lindas). São mais que muitas e ainda ando a ver a melhor maneira de como dividi-las pelos posts. Mas vá, a ver se amanhã já tenho qualquer coisinha para vos mostrar.
Ora... Quanto à animação do casório, limitámo-nos a um dj, conhecido e amigo, e a uma animadora para os pequenos fedelhos (que não eram muitos). Não contratamos nenhum daqueles coreógrafos que põem toda a gente a dançar, porque sabíamos que o nosso dj já fazia bem esse trabalho, pelo que foi um dois em um perfeito. O nosso fotografo até pasmou ao vê-lo dançar, ah! ah! ah!
As músicas ficaram a seu cargo, apenas dissemos que não queríamos aquela típica musica ambiente para o copo d'água, que deixa qualquer pessoa à beira de adormecer à mesa (e nós não queríamos ver os convidados a cair com as suas cabeças, tóim, tóim, tóim). E, claro, escolhemos nós as músicas mais importantes, a saber:

Chegada à Quinta: Ed Sheeran "Photograph" (sendo o nosso tema "fotografia", acho que não podíamos ter escolhido melhor);
Abertura do copo d'água: Nicky Jam "El Perdón" (um remix bem animado);
Abertura da pista de dança: Anselmo Ralph "Única Mulher"
Corte do bolo: Ellie Goulding "Love me like you do"

Deixo-vos com um pequeno video da abertura da pista, captado por um dos alegres convivas, que já havia partilhado no Instagram (nada de gozar com os nossos dotes para a dança, hã!!).

video

É impossível rever este video e não ficar com um daqueles sorrisos parvos. =)))
24-09-2013 15-51-22

Foi o melhor que se arranjou #160

E pronto, acabou-se o que era doce. Depois de cinco semanas, eis que estou de regresso ao trabalho. Acho que já nem sei como se faz (ah! ah! ah!). É certo que o arranque custa sempre, mas depois de meter a primeira é sempre a andar (esperemos).
Que seja uma segunda-feira doce e uma semana cheia de pinta, assim, tipo o meu look! :D

domingo, 27 de setembro de 2015

Noiva à beira de um ataque de nervos #19: O carro.


Não é só um carro. Não é apenas um clássico dos bem antigos. É o carro do meu avô que nunca conheci. Daí não ser apenas um carro, mas sim, todo o valor sentimental que representa. E não só. É todo o esforço do meu pai, bem como de alguns amigos, para conseguirem pô-lo como novo (quase) e a trabalhar, em apenas um mês. Foram muitas, muitas horas de volta deste Austin 12, muitas noites de sono "perdidas", muitas dores de cabeça, tudo para que eu pudesse chegar à igreja não num carro qualquer, mas no do meu avô. Sei que foi um orgulho enorme para o meu pai tê-lo conseguido, e sei que onde quer que o meu avô esteja, está muito, muito feliz e orgulhoso também. Na verdade, as palavras são insuficientes para descrever este sentimento. Não viu nem filho nem neta casar, mas teve esta grande prova de amor e carinho. E eu, claro, sinto-me eternamente agradecida ao meu pai (e a todos os que deram uma mãozinha) e muito orgulhosa dele. E feliz. Muito feliz! Podia ter ido no nosso carro particular, numa limusina, ou até ter alugado um transporte de noivos qualquer, mas...sem dúvida que não seria a mesma coisa. Obrigada pai. 

sábado, 26 de setembro de 2015

Gata em modo "SOS" #7

Quem é vivo sempre aparece. É o que se costuma dizer e é verdade. Muitos foram os pedidos de opiniões sobre como conjugar peças, ora para casamentos, ora para baptizados, ora para baile de finalistas, que ficaram sem resposta da minha parte. Alguns, ainda tentei ajudar por mail, outros houve que nem isso. Deixei-vos na mão e quero pedir-vos desculpa por isso (imagino que tenham ido nuas ou que tenham faltado aos respectivos eventos, ah! ah! ah!). Não foi por mal, não foi mesmo, até porque adoro fazer este tipo de trabalho, diverte-me esta coisa de tentar combinar peças, e o saber que vai ser útil para alguém torna tudo ainda mais entusiasmante. Mas... Este, foi um ano complicado devido a vários factores e, muitas vezes, saber gerir o tempo não foi fácil. De Maio a Setembro, então, ui ui, mais difícil se tornou. Quando achava que ia ter um bocadinho para dedicar-me a vocês, aparecia sempre qualquer coisa. Mas vá, desleixei-me mas foi por uma boa causa, hã.

Entretanto, estive a rever os mails, porque sabia que lá pelo meio havia um que se referia a um casamento para Outubro, então, pensei que talvez ainda fosse a tempo de dar uma mãozinha. Se não for, e sendo a peça-chave do look uma saia midi, super em voga esta estação, acho que este post vai acabar por ser-vos útil na mesma.

Então é assim... A Ana enviou-me um email (em Junho!) com a imagem abaixo:


E pediu-me ajuda para recriar algo do género. Nunca tinha pensado numa saia midi para look de casamento e achei uma opção muito boa. Na altura, ainda fui à caça de uma saia midi vermelha, mas não encontrei nada, pelo que sugeri que a Ana mandasse fazer numa costureira. O resto, blusa branca, stilettos nude e clutch às riscas, era super fácil de encontrar. Agora, com mais tempo e calma, fui ver o que se arranjava destas saias e há delas às paletes pelas lojas. É mesmo uma das peças-chave para este Outono/Inverno.
Na hora de criar alguns looks, tentei combinar com outro must have da estação: blusas com um laço. Acho que estas duas peças juntas criam um efeito muito bonito, elegante e romântico, ideal para um casamento. Eu gostei muito do resultado final e espero que vocês também gostem e, claro, que vos seja útil. =))

Eis as minhas sugestões:

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Honeymoon #1

Ora então, depois de uns detalhes do casório, passemos para a lua-de-mel, só para desenjoar do tema "ca-sa-men-to". Mas já sabem, quando estiverem fartinhas até ao pescoço é só dizer que eu faço questão de continuar (AH! AH! AH!).
Como já sabem, fomos até ao paraíso grego, numa viagem que passava por Atenas (2 dias!), Mykonos (3 dias) e Santorini (2 dias). Comecemos, então, pelo inicio, Atenas.

Caso não tenham reparado, coloquei um ponto de exclamação quando indiquei que estivemos dois dias em Atenas. Isto, porque espremido, espremido, nem um dia lá estivemos. Atenas acabou por ser um ponto de ligação e estivemos lá, praticamente, só de passagem, o que foi uma grande pena.
Chegámos ao hotel deviam ser umas seis da tarde, fizemos check-in, deixámos as malas, vestimos algo mais leve e fomos logo para a rua tentar ver o máximo possível. Corremos aquele centro toooooodo a pé (estamos a falar de alguns...4 km!!!, tudo a penantes!!!), tirámos algumas fotografias (poucas), mas entrar nos museus que é bom, NADA. Já estavam fechados e tivemo-nos de nos contentar com as respectivas tabuletas indicativas e com as vistinhas que prometiam algo de extraordinário. É por estas e por outras que digo que Atenas é um local a voltar, até porque adoro história, aquela coisa dos antepassados, e adorava ter visitado os museus. É, mesmo tendo quase falecido, gostava de voltar. Sim, sim!!! Foi por uma unha negra que eu não "passei para o outro lado", p*tas das lambretas que parecem loucas naquela cidade!! Até paralisei... Mas vá, não passou de um (grande) susto e continuo aqui para vocês me aturarem. :D
Ora... Depois da grande caminhada de reconhecimento, chegámos ao hotel já era tarde e tínhamos de acordar cedo, tipo 5h30 da matina, para apanhar o ferrie para Mykonos.
Voltámos a Atenas no penúltimo dia da nossa viagem e foi só mesmo para dormir. Chegámos era quase meia-noite e às 3h da manhã já tínhamos de estar a pé para ir apanhar o avião de regresso. Daí dizer que Atenas acabou por ser só de passagem e que dois dias lá é mentira.

Deixo-vos com algumas fotos, sendo que parte delas está com uma certa qualidade de cocó, porque a máquina que levámos não é das melhores. Mas proooonto, é melhor que nada.

Aqui vamos nóóóóós! :D

Foi o melhor que se arranjou #159

Podem respirar de alivio, porque isto aqui no blog não vai ser só casamento, casamento e mais casamento. Quero mostrar-vos tudinho, mas pelo meio vou partilhando outras coisas, dentro do habitual no blog (a parvalheira do costume, vá). O máximo que pode acontecer é estarmos a comer as doze passas e eu ainda a falar da boda e da lua-de-mel, como se o tempo tivesse parado em Setembro. Mas quando o assunto é felicidade... =))

Bem, para agora trago-vos um look, algo super simples e básico como uma blusa, uns jeans, umas sandálias e siga viagem. O destaque vai para a blusa que foi amor à primeira vista. Mal a vi lá pendurada na loja a olhar para mim, pensei logo "eu vou-te levar para casa, ai vou, vou". Acabei por levar só mais tarde, quando recebi o meu desconto de aniversário, e foi uma prendinha de mim para mim. Gosto imenso dela (óbvio, senão não comprava, né!). Adoro o detalhe do plissado que lhe dá um toque diferente e bem bonito.
Se ainda não sabem, ficam já saber que os plissados estão em altas para esta estação e eu achei que foi uma boa oportunidade de entrar nesta onda das pregas. Para além disso, blusas pretas (tal como brancas) nunca são demais!

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Noiva à beira de um ataque de nervos #18: a noiva!

Caaaaalma, que eu cheguuuueiiiii!! Mil perdões por vos deixar à beira de um ataque de ansiedade, mas uma pessoa precisa de descansar os ossos da viagem e de se organizar. Depois, há o pormenor das fotos que é o que vocês pretendem mesmo, certo? Ainda tenho pouquinhas fotos do casório, incluindo da minha pessoa e decoração. A minha irmã, que parecia mais nervosa do que eu, mal tirou fotos e agora tenho de aguardar pelas do fotografo, que devem vir lá mais para a Páscoa. O que tenho em mãos são as tiradas pelos amigos e familiares, pelo que não estejam à espera de fotos de qualidade máxima. É o que há e quem dá o que tem a mais não é obrigado, não é vero?

Ora bem... Não sabia muito bem por onde começar, é boda, é lua-de-mel, é mil e uma fotos para seleccionar (já que da viagem o que não faltam são fotos), mas lá decidi que vou intervalar os posts, ora temos um do casamento, ora um da lua-de-mel, ora outro do casamento, ora outro da lua-de-mel e assim sucessivamente. O melhor mesmo é prepararem-se para uma catrefada de posts à volta deste tema, mas quando estiverem fartos é só dizer que eu continuo, hã. Ah! ah! ah!

Uma vez que, o primeiro post é sobre o casório, achei por bem começar...por mim, a noiva! Vestido (que já sabem qual é), sandalocas, acessórios, ramo...e ainda têm direito a fotos dos noivos juntos.

Vamos nessa?

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Home Sweet Home

Pôr-do-sol em Santorini.


Prontinho, pequenada do meu coração, parece que já regressámos directamente do paraíso (e esta é aquela parte em que fico com aquele ar de cãozinho abandonado, bahhhh). Foi uma semana que passou a voar, mas soube a mel (e a pouco, já agora). O destino não podia ter sido melhor escolhido, as ilhas gregas são um pequeno paraíso à beira-mar plantado e recomendo a viagem. Adorei Mykonos, amei Santorini e só tenho pena de não termos estado mais tempo em Atenas para conhecer melhor (e dois dias em Santorini também é muiiiiiito pouco). É daquelas viagens a repetir, sem dúvida nenhuma.
Bem sei que as minhas piquenas estão ansiosas da vida para saberem dos detalhes da boda, da lua-de-mel e de tudo e tudo (e a morrer de saudades minhas, pois claro, ah! ah! ah!), mas, ontem, foi mesmo impossível partilhar o que quer que fosse e, hoje, parece-me que vai pelo mesmo caminho. Com o regresso de viagem, malas, etc e tal...estão a ver o filme, não estão? É roupa para organizar, para pôr a lavar, para pôr a secar, para passar, é a papelada bem como restantes apetrechos para organizar e arrumar, enfim...é a parte seca de ir de voyage. Depois, tenho de aproveitar bem o dia para estar com o meu marido (marido?! aiiiii q'isto soa tão a estranho!!!), já que amanhã está de regresso ao trabalho. E ainda tenho a minha bolinha de pêlo mailinda e fofa para encher de beijos e matar saudades. MAAAAAAS, nada de ciúmite aguda, hã! Mal comece a tratar das fotos (que são taaaaaaaaantas, ai nosso senhor m'acuda), estarei pronta para vos dar a devida atenção e os posts vão começar a sair do forno. Mi aguuuuuardem! :D

É bom ir, mas também é bom voltar. ❤️


24-09-2013 15-51-22

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Por terras gregas #7

Last days

E pronto, acabou-se o que era doce (snif, snif). Ontem, ainda fomos conhecer outra praia da ilha, Kamari, deu para tostar mais um bocadinho e almoçar à beira-mar. A praia tinha o seu encanto, mas era com cada pedregulho, jasóóós os meus ricos pezinhos!! Depois de almoço, hora da nossa partida, começou a chover. Santorini estava triste com a nossa ida e nós bem que ficávamos mais uns belos dias. Quem sabe se não voltamos! =))
As 8h de viagem de ferrie tiveram direito a um mega festival de relâmpagos e eu (quase borrei a cueca) só desejava pôr os pés em terra. Agora, temos a viagem de avião com escala em Frankfurt. Já estamos no aeroporto e parece que também temos mau tempo por estes lados. Se não der sinais de vida nas próximas horas já sabem, a vossa gata foi desta para melhor (bate na madeira!!).

P.S.: Já estão mentalizadas para levarem com uma enxurrada de cenas de um casamento e de uma viagem às ilhas gregas? Si prepaaaarem! :D
24-09-2013 15-51-22

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Por terras gregas #6

Sixth day

Não sou propriamente das pessoas mais viajadas, mas arrisco a dizer que Santorini é dos destinos mais encantadores do mundo. Tanto pela sua origem (a natureza é mesmo incrível), como pela sua história e por cada canto da ilha. Dois dias é muito pouco para o que este paraíso oferece. Havendo oportunidade, é destino a repetir. Agora, bora lá aproveitar as últimas horas.
24-09-2013 15-51-22

domingo, 20 de setembro de 2015

Por terras gregas #5

Fifth day

Adorei Mykonos por várias razões, as quais ficarão para depois (com direito a fotos e tudo e tudo e tudo [quase tudo, vá]). Mas Santorini...não tenho palavras. Mal começamos a chegar à ilha de ferrie é logo aquele "uauuuu", aquele pasmar mesmo tipo a música "partes-me o pescoço". E o pôr do sol? O melhor do mundo.

P.S.: Domingo? Amanhã já é segunda?! E depois terça, dia de ir embora?!! Não queeerooooo, buááá!!
24-09-2013 15-51-22

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Por terras gregas #4

Fourth day

Os monhés das massagens estão para as ilhas gregas como as bolas de Berlim para as praias portuguesas. É vê-los a passar a toda a hora de papel na mão (com a imagem de um pé e trezentas legendas a sair dele) e "massage?, massage?, massage?". Por falar em bolas de Berlim...bem que me têm feito falta. De resto, tudo perfeito (alguém sabe o segredo para fazer parar o tempo?). Amanhã, despedimo-nos de Mykonos e partimos rumo a Santorini. =)))


P.S.: Post escrito em três minutos, enquanto tratava das necessidades fisiológicas. Como vêem, é muito fácil dar sinais de vida sem comprometer uma lua-de-mel. Desta feita, posso não ter escolhido o melhor momento, mas o que conta é a intenção :D. Mil beijufas *
24-09-2013 15-51-22

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Por terras gregas #3

Third day

Fazia disto vida. É só o que tenho para vos dizer.

P.S.: Não querendo meter nojo, mas metendo... Já começo a ganhar uma corzinha. :D :D
24-09-2013 15-51-22

Por terras gregas #2

Second day

Mykonos é realmente uma ilha encantadora. Já a viagem de ferry até cá de encantador não tem nada. É de fazer trepar paredes, caredo!! É verdade que a vista tem a sua beleza e as primeiras duas horas até se fazem bem, mas depois... Digamos que aquela leve ondulação começa a entrar em conflito com  o meu organismo, que é como quem diz "quase que me vomitei toda" (mil perdões aos mais sensíveis pela sinceridade). Vi-me mesmo da cor da abelha, mas já cá estamos e estamos a adorar.


P.S.: Só tenho uma reclamaçãozinha a fazer. O vento. Aiiiiii o vento!! Faz cá uma ventanaiza que nem sei se vos diga ou se vos conte. Hoje, vamos rumar mais a sul e ver se é como dizem e se não há tanto vento.
24-09-2013 15-51-22

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Por terras gregas #1

First day

Tirando aquela parte em que foi por uma unha negra que não fui atropelada por uma (puta de uma) lambreta a todo o vapor, está-se muitíssimo bem. Neste momento, vamos a caminho de Mykonos e estou a rezar a todos os santinhos para não ficar a servir de comida para peixe (e para não "virar o barco", se é que m'entendem).

24-09-2013 15-51-22

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Os noivos ♥

Então e o noivo? Também querem ver o noivo?! Hmmmmmmmmm, não estou a perceber, nãoooo. O senhor das alianças bem que disse que a dita no dedo de um homem é tipo chamariz, mas respeitem-me, 'tá? Suas soltas desenvergonhadas (ah! ah! ah!).
Ora bem, o noivo! Eu acho muito bem que queiram vê-lo, até porque sem ele não havia noiva, não é verdade? É isso e a parte da frente do vestido, mas cadê ela?
Pois que não temos apenas o noivo, mas OS NOIVOS! E de frente, que à retaguarda é preciso fazer cuidado.


Eu sei que não é a foto mais perceptível do mundo, mas é o melhor que se pode arranjar e quem dá o que tem, a mais não é obrigado, hã!
Na verdade, ainda não consegui reunir as fotos todas dos mais variados paparazzi, pelo que não estou munida de material suficiente para poder partilhar com as minhas cuscas preferidas (vocês, pois claro). Mas caaaaalma que o que 'tá prometido,'tá prometido. E só para não dizerem que eu sou esta e aquela, vou ver se mais daqui a pouco partilho um video no Instagram com quinze segundos da nossa abertura do baile, ao som de, de, de... Anselmo Ralph (uuhhhhhhhhh)! Só têm de ficar atentas e, se por acaso, não conseguir partilhar a culpa será do telemóvel que decidiu conspirar contra vocês.
Agora, se é que me permitem, vou acabar de fazer a mala que daqui a nada é hora de ir apanhar o avião. E eu sei! Eu sei que vou embora e que vocês vão morrer de saudades minhas, mas nada de ohhhhhhh's e de olhinhos lacrimejantes, sim? Prometo tentar dar sinais de vida pelo fantástico mundo das redes sociais. Muuuuuahhhhh *
24-09-2013 15-51-22

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

As casadas que me dêem as boas-vindas, faxabori!

Gostava de ter deixado umas palavras aqui no blog, antes de passar para o clube dos casados, mas foi impossível. Comecei o dia de sexta-feira a bufar por todos os lados para acertar o raio das mesas. É mesmo a parte mais fuck de organizar um casamento e aconselho mesmo às futuras noivas para não deixarem isto para os últimos dias, para não ser tão stressante. O resto...o resto com calma (dentro dos possíveis, pois claro) e gosto, vai-se fazendo.
Depois, era necessário acertar os últimos pormenores e o fundamental, claro, preparar a Quinta para o grande dia. Saímos de lá já era tarde (há sempre imprevistos, ca neeeeeeervos!!) e com toda a agitação do dia não sentia sono. Depois dos últimos contactos e algumas providências, tomei o meu banho relaxante e fui para a cama já passava da uma da manhã. Antes de encostar a cabeça no travesseiro e fechar os olhos, ainda quis partilhar uma pequena foto com vocês. Porque vocês também fizeram parte destes últimos importantes meses da minha vida. Acompanharam tudo e estiveram sempre aí desse lado para aturar esta noiva à beira de um ataque de nervos. Mesmo virtualmente, foram (e são) importantes. É estranho estes laços que se criam à distância de um ecrã, mas posso dizer que é muito bom. É por isso que vos agradeço imenso a companhia e todas as palavras de carinho dos últimos dias. Do fundo do coração, OBRIGADA. 

Agora, já estou casada. A vida de solteira já lá vai (se formos a ver bem a coisa, já lá vai há muito tempo). Não me posso queixar muito dessa altura da minha vida, mas teve os seus percalços e os seus desgostos. No tempo de escola, ciclo e secundário (que é quando começamos a despertar interesse nos rapazolas), nunca fui muito namoradeira. Tive um ou outro namorico, mas nada demais. O meu primeiro grande amor apareceu na minha passagem do 12º para a universidade. Foi muito bom, foi o primeiro e o primeiro é sempre o primeiro. Mas acabou ao fim de cinco anos, pelos mais variados motivos, que agora não importam. No meio da turbulência desta primeira grande relação, houve a oportunidade de começar uma grande história. Mágica, eu diria. Mas quando as coisas não começam da melhor maneira, não podem acabar bem, nem ter pernas para andar. Depois de andar meio à deriva, surgiu outro amor. E foi um amor que me estraçalhou o coração em mil bocados. Vivia numa instabilidade nunca antes conhecida, mas gostava dele. Gostava mesmo, mesmo, mesmo dele. Como se costuma dizer "o amor é cego" e é mesmo. Depois de meses a tentar recompor-me e libertar-me desta relação que me magoou imenso (e que muito tinha para contar), surge alguém que julguei ser aquele que vinha acalmar este coração. Mas não, não passava de um sapo disfarçado de príncipe. Mas, ironia das ironias, foi esse mesmo sapo que me levou ao meu verdadeiro príncipe. E hoje, estou aqui, casada e feliz para a vida.

Tenho imenso para partilhar com vocês sobre o #120915, mas não sei se vou conseguir fazê-lo antes de partir para a Grécia. Mas fica a promessa de que não vos vai escapar nada de nada, nem mesmo os imprevistos do dia, porque os houve, mas tudo se resolve.
Foi um dia inesquecível e agradeço a todos os que contribuíram para que assim fosse. Só tem um senão. Passa mesmo tão, mas tão rápido, e, às vezes, só apetece parar o tempo. A sensação que tenho é a de não ter conseguido chegar a todos da maneira que queria e de ter dado a atenção que todos mereciam. Eram mais de duzentas pessoas e com toda a emoção do dia é sempre difícil. Mas estão todos no meu coração, se lá estavam é porque são importantes na minha vida e agradeço imenso a sua presença.

Escrevi estas palavras de lágrimas nos olhos e ao som da música "Photograph" de Ed Sheeran (sempre em modo repeat). Foi uma das músicas escolhidas para este dia tão especial e é aquela que me fará recordá-lo mal a ouça tocar. E sim, o tema do nosso casamento foi...fotografia .

Agora, e não havendo tempo para muito mais, deixo-vos com o meu vestido, mais propriamente, a parte detrás. Não é por ser o meu (ou se calhar é), mas não me lembro de ver um vestido tão bonito, tão perfeito quanto o meu. Só vou voltar a vesti-lo quando fizermos a nossa sessão fotográfica do "After Day", mas a vontade é de voltar a usá-lo as vezes que me apetecesse. Lindo demais para ir ganhar mofo.

Foto tirada tarde e às más horas, cansada mas feliz, chegados a casa dos meus papis e... Foi o melhor que se pode arranjar.

My little treasure

24-09-2013 15-51-22

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Sugestões para a primeira noite de casados

A) Cair morta na cama e toca a roncar até ao outro dia;
B) Fazer o amor até o sol nascer;
C) Contar a guita;
D) Todas as anteriores.
24-09-2013 15-51-22

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Foi o melhor que se arranjou #158

Este é o último look que partilho aqui no estaminé como solteira (não que tenha andado nua nestes últimos dias, atenção). O grande dia está a chegar. Falta pouco mais de um dia e o nervoso miudinho já se faz sentir. Ok, vou ser sincera e, na verdade, tenho andado numa autêntica piiiiiilha de nervos nestes últimos dias que ninguém me atura (nem eu própria). Amanhã não será diferente, muito pelo contrário, mas à noite espero parar de vez e começar a relaxar. Não quero ser uma noiva com a palavra "nervos" escrita na testa. Tudo vai correr bem e o importante é desfrutar bem do dia que leva meses e meses a organizar e que depois passa tão, mas tão rápido. Palavras de quem já por lá passou. Poooor isso, respira, Bruna, respira.

Voltando ao look... É uma combinação simples, descontraída, um look de fim-de-semana de relax e para dias de sol. Um look para aquelas alturas em que não apetece nada de muito "pipi" e elaborado, em que só apetece pegar numa t-shirt, nuns calções, num calçado confortável e ir dar um giro por aí.
As fotos foram tiradas na Pateira de Óis da Ribeira, um local muito bonito para passear e respirar um pouco de ar puro. E claro, para pegar na máquina fotográfica e tirar umas fotos bem giras. Espero que gostem!


P.S.: Quero agradecer, uma vez mais, as vossas felicitações e palavras de carinho. Vocês têm sido umas queridas e umas verdadeiras companheiras nesta fase tão bonita da minha vida, ainda que virtualmente. Obrigada do fundo do coração, é muito bom saber que estão aí desse lado. 
Agora, com licença, que vou voltar à versão "noiva-exaurida". Muuuaahhhh *



Sobre os vint'oito

♥ 

Feliiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiz!!
24-09-2013 15-51-22

A Gata na Cozinha #47


Há não muito tempo fiz um bolo que é só a coisinha mais deliciosa de todos os tempos, precisamente aquele ali da foto. De certo que já ouviram falar no Melhor Bolo de Chocolate do Mundo e a receita que hoje vos partilho é nada mais nada menos do que a sua tentativa de recriação. Mas se nunca ouviram falar, por um lado ainda bem, menos uma coisa a contribuir para a vossa linha roliça, por outro, ainda mal, já que andam a perder um dos pequenos prazeres da vida (daqueles mesmo, mesmo orgásmicos).
Só tive oportunidade de experimentar esta pequena maravilha no ano passado, numa das idas a Lisboa, mais propriamente no Mercado da Ribeira, e fiquei completamente maravilhada. O bolo é...é...não há palavras! É delicioso por djimais!! Aquela parte do suspiro combinada com o chocolate e bem fresquinho, hmmmmmmmmm, DA-QUI (mãozinha atrás da orelha). Pena ser um bolo que não se encontre facilmente por aqui. Ou então não, ainda bem que esta bomba calórica está loooooonge do meu alcance, caso contrário, já não andava, re-bo-la-va. É que tem tanto de delicioso como de calórico, mas não pensemos nisso agora, hã.
E prooooooonto, a pedido de várias famílias aqui fica a receita. O noivo encontrou-a na net e não descansou enquanto aqui a je não pusesse mãos à obra. Não consegui publicar no blog antes, mas até calhou bem partilhar logo hoje, no dia do meu aniversário. Já que não vos posso fazer chegar uma fatia de bolo em jeito de comemoração e de agradecimento por terem perdido uns minutinhos do vosso tempo a felicitar-me, pelo menos, mando-vos a receita de um. Já não é mau! :D

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

My little treasure


É preciso comer um boi para fechar o fecho, mas o rabo cabe.
Três dias (aiiiiiiiiiiiiiiii!!).
24-09-2013 15-51-22

Parabéns a mim!


P.S.: Espero bem que já tenham tratado da minha prenda. Não queiram entrar para a minha lista negra (AH! AH! AH!).

24-09-2013 15-51-22

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Constatações

Cheira-me que vou ser uma noiva que irá contra todas as estatísticas. Em vez de emagrecer, vou engordar. Amanhã já vos digo se consegui enfiar o rabo no vestido (façam figas, hã). Diz que é a última prova e que já vou trazê-lo comigo para casa. 
24-09-2013 15-51-22

Último dia com 27 anos

Os vinte e sete estão mesmo, mesmo a chegar ao fim, e sinto que este último ano da minha vida passou num verdadeiro abrir e fechar de olhos. Aliás, para ser mais precisa, esta bonita década dos "vintes" está a passar a uma velocidade assustadora. Quando der por mim já estou nos "intas", aiiiiiiiiiiiiiii mi vida, mi vida que estou a ficar cota. Anda uma pessoa uma vida inteira a desejar chegar aos dezoito com a ânsia de ter carta, de chegar a maioridade e de começar a ganhar a tão desejada independência e depois... Depois, só queríamos voltar a ter dezoito anos. Não, também não é bem assim e não gostava de recuar no tempo. Não é isso que quero dizer. Acho que todas as fases da nossa vida têm a sua graça, o seu "quê" de especiais e devem ser vividas na sua plenitude. Claro que é muito mais giro estar na flor da idade e não com os pés para a cova, mas vá, são pequenos pormenores. O que quero dizer é que gostava de ter mais tempo para saborear melhor cada dia da minha vida, o que nem sempre é possível. Quando tudo parece calmo, surge sempre algo para enfiar a cabeça, andamos ocupadíssimos com isto e aquilo, e nisto, o tempo passa. Porque nós não paramos, mas o tempo também não pára. E um dia não tem 48h mas devia. Há tanto para a fazer, tanto para viver e o tempo parece sempre tão curto. Oh...
Se tivesse que resumir este meu último ano de vida numa palavra seria "casamento". Não sei se deu para reparar, mas passei grande parte dos vinte e sete de volta daquele será o meu grande dia e, muito provavelmente, dos dias mais felizes da minha vida. Por isso, não foi um ano mau, claro que não. Mas sinto que não o aproveitei como desejava. Também teve os seus obstáculos, porque os há sempre e sempre há-de haver. É preciso saber ultrapassar da melhor forma e é aqui que sentimos que crescemos. E eu senti que os vinte e sete tornaram-me numa pessoa mais madura e, apesar de algumas fragilidades, também me tornaram mais forte. Porque com a vida aprendemos a estabelecer prioridades, a pôr um ponto final e a abrir um novo paragrafo, a desvalorizar e a dar valor ao que realmente importa. Ensina-nos, também, a não guardar rancor de nada, a cuidar mais de nós e do que é essencial, e a continuar o nosso caminho com um sorriso nos lábios e apenas com aqueles que nos querem acompanhar. Deixamos de ocupar a cabeça com o que não tem fundamento. E, nisto, o coração fica mais leve. Ganha-se aquela paz interior que não tem preço e que é a melhor forma de estar na vida. Sinto-me pronta para encarar os vinte e oito e tenho fé que será um ano recheado de coisas boas. Porque sem fé também não vamos a lado nenhum.  

24-09-2013 15-51-22

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Fénomenos

Ele há coisas do diabo. E não é que hoje, no meio dos entra-e-sai-do-carro, queria desengatar o carro e a coisa não dava?! Isto pode não estar a soar muito bem, mas acho que fiz-me entender. Tinha o raio do xasso estacionado numa descida, pelo que achei por bem deixá-lo com a marcha atrás, não fosse ele parar ao homem dos frangos. Fui à minha vidinha e na hora de pegar nele e seguir viagem, o raio do bicho não saía da marcha atrás. Estava eu quase a abrir um buraco no lugar da embraiagem, tal era a força com que carregava, e nada de passar da marcha atrás para ponto morto. Nem para ponto morto, nem para primeira, nem para segunda, nem para o c@%l$&. A caixa das mudanças estava completamente bloqueada e sem razão aparente. Estive nisto um belo quarto de hora para evitar a vergonha de ter de chamar alguém para me vir acudir, até que desisti e tive mesmo de ligar ao meu rico pai. Enquanto chegava e não chegava, continuei na minha luta contra a manete das mudanças, ao passo que pensava para comigo "tu agora estás a dar-me cabo dos nervos, estás a deixar-me com os suores, mas aposto, é que A-POS-TO, que quando o meu pai chegar vais fazer o teu trabalho lindamente, como se nada tivesse acontecido, só para a minha pessoa passar por totó, não é minha grandessíssima piiiiiiiiiiiii?". Parece que já estava a ver o filme.
Pois que o meu pai chegou, entrou no carro, "ah e tal o que é que se passa afinal de contas", vai com a mão à manete e tuuuuuuuuuufas, saiu da maldita marcha atrás, assim, sem esforço nenum!! E eu fiquei com cara de tacho, completamente fuuuuuuuuuuuula da vida e a jurar por tudo o que era mais sagrado que o carro não desengatava!!! E não desengatava mesmo!! Não estou a ficar chéché, não pensem, hã!
Nisto, fui à minha vida, a proferir umas quantas asneiras mentais e a tentar perceber o sucedido. Todo o resto do dia que andei com o carro e que usei a marcha atrás, nunca mais voltou a acontecer nada do género. Aliás, tal coisa nunca me tinha acontecido, tanto que a primeira coisa que perguntei quando liguei ao meu pai foi se era possível a caixa de mudanças bloquear. E eu só queria ir ao chineses. Não queria ir atropelar ninguém nem coisa que o valha. Serão sinais divinos? Eu cá acho que nada acontece por acaso. Tem de haver uma explicação qualquer para esta cena do demo que, muito provavelmente, nunca vou saber. Ou então não. São coisas super naturais de acontecer e eu é que estou a fazer filmes. Baaaaaaaahhh, vou masé dormir. Inté.
24-09-2013 15-51-22

Perguntinha

Se, por acaso, eu resolver pintar as unhas (mãos e pés) de verde-mint para o casório vem o mal ao mundo?
24-09-2013 15-51-22

Foi o melhor que se arranjou #157

Quem é que já estava com saudades da rubrica mais in da blogosfera e arredores, hum? Caaaaaaaaaalma que a parte do "mais in" era só brincadeirinha, 'tsá? Já as saudades...vá, confessem, já sentiam falta de ver os trapinhos aqui da Gata, não já? Pois, eu sabia (ah! ah! ah!).

Ultimamente, não têm havido grandes oportunidades para sessões fotográficas, que é coisa que leva sempre o seu tempo (e paciência!), como devem imaginar. Além disso, tenho andado super básica e o mais simples possível, pelo que não me pareceu interessante registar os looks dos últimos dias (não que este o seja, mas pronto, "come-se").

As riscas são, provavelmente, dos meus padrões favoritos, especialmente, no Verão. Não sei muito bem porquê, mas associo-as muito a esta estação do ano. Talvez porque as casinhas características da praia da Costa Nova são às riscas. Ou porque a maior parte dos pára-ventos são assim, às riscas.
Sempre que entro numa loja e avisto riscas corro logo em direcção a elas. É tipo íman. Calças, t-shirts, camisolas, vestidos, calções, malas, tudo o que tiver riscas eu gosto. Pode é não assentar bem, mas isso são outros quinhentos paus.

Já tinha duas camisas às riscas (acho que já escrevi a palavra "riscas" umas cinquenta e sete vezes), mas em tons completamente diferentes da que vos mostro hoje. Esta pareceu-me mesmo perfeita e veio comigo numa das minhas últimas idas ao shops, já a pensar na próxima estação. É soltinha como eu gosto, perfeita para andar por fora das calças, num estilo mais descontraído.
E é assim, num registo bem comfy, a preto, branco e vermelho, que vos partilho o look de hoje, já a chamar o Outono. Sim, as folhas caídas pelo chão mostram bem que o Verão já tem os dias contados e que a época do chocolate quente está à porta. Hmmmmmmm gosto tanto!

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Constatações

Esta semana passou-se de forma calma. Calma até demais. Cheira-me que para a semana vou andar a arrancar cabelos.
24-09-2013 15-51-22

Já vos disse que estou quase a fazer anos?

Toca a anotar nas vossas agendas e/ou telemóveis, mais precisamente no dia NOVE do NOVE, o seguinte: "dar os parabéns à minha querida Gata mailinda e fofa" (eu, pois claro). Se ainda não o fizeram, estão muito a tempo e aconselho mesmo que o façam. Ai de voceses, minhas ilustres e adoradas leitoras, que se esqueçam de me felicitar. É que temos logo o caldo entornado, ai temos, temos!!
Ora bem... Perguntaram-me imensas vezes se tínhamos feito lista de casamento e não, não fizemos. Sinceramente, nem me lembrei disso, mas se calhar não tinha sido nada má ideia não. Agora, se me aparecerem com um cão de loiça à frente...resta-me ter de levar com ele (salvo seja).
Mas vá, não fiz lista de casamento, mas acabei de fazer a lista de aniversário. Não que esteja com grande fezada, até porque a esta hora já anda tudo à beira da falência com o casório, maaaaaaaaaaas...não custa nada lançar o isco, não é verdade? E se não for agora, o Natal também não vem longe.
Para além daqueles botins lindos e maravilhosos (Salsa), daquele blusão hiper-mega-fofo (Salsa) e daqueles calções tãooooo top (Salsa), muitas outras coisas me fariam uma pessoa bem mais feliz. Já têm a caneta na mão? Atentem...





quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Noiva à beira de um ataque de nervos #17

PAROU TUDO!! Já só faltam nove dias? NOVE?! Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii socorro!! Isto do tempo passar a correr não são tretas não senhor, é mesmo verdade, chiça.
Bem... Ponto de situação da coisa? Depois da decoração das mesas, foi a vez de acertar a decoração do exterior. Estive na quinta logo no inicio da semana com a pessoa responsável e já ficou tudo orientado. Só não sei muito bem como vou pôr em prática uma ideia que tenho em mente, mas vá, não há-de ser nada e só no momento é que vou perceber se a "coisa" vai funceminar ou não. Caso não funcemine não vai ser por isso que não vai haver casório, por isso...sem stress (#sóquenão). Ah! O dj também já foi à quinta fazer o reconhecimento do espaço.
Em relação ao distribuidor de lugares, o raio do bicho está a dar mais trabalho do que imaginava, mas amanhã espero tê-lo prontinho.
A prova de maquilhagem também já está despachadinha e ao contrário do que se previa, não me senti à beira de cortar os pulsos. Inspirei-me num vídeo da Inês Mocho, depois, foi só explicar o que pretendia e prontinho, 'tá bom não mexas mais. Sempre fiz a permanente de pestanas e...cuidado, muiiiiito cuidado que estou capaz de provocar um qualquer vendaval ao mínimo pestanejo. E sendo assim, não há cá pestanas falsas para ninguém.
Também já tratei do bolo dos noivos e já deixei na pastelaria a imagem do que pretendo e ai deles que não me façam igualzinho.
O carro...ai o carro! Se fosse a contar todas as peripécias à volta dele (e as noites mal dormidas), nunca mais saíamos daqui. Mas sobre ele falarei mais à frente, depois do grande dia. Posso desde já dizer que é um carro com bastante valor sentimental e sinto-me muito feliz (orgulhosa e agradecida) por o meu pai ter conseguido pôr a "padiola" nos trinques em tão pouco tempo. Trata-se de um carro muito antigo e era do meu avô (paterno). Também já tenho a decoração idealizada e não, não cá arranjos de flores gigantescos e farfalhudos em cima do capô (cruzescredocanhoto).
O nosso porta-alianças também já nos chegou às mãos e é simples, fofinho e original, tal como queríamos. E o melhor é que, depois, também pode servir como elemento decorativo. As lembranças a oferecer aos alegres convivas também estão em marcha e à partida serão entregues na próxima quarta-feira, dia nove (dia dos meus anos como sabem e se não sabem deviam saber).
Andava com umas ideias para o momento da saída dos noivos da igreja, mas as minhas mãos não são nada dadas a trabalhos manuais, pelo que ainda estava tudo em águas de bacalhau. Ontem, sorte das sortes, vi o que queria, tal e qual, feito pelas mãos de uma das minhas leitoras fofinhas que percebe de design e de artes gráficas e tufas, ficou logo encarregue de me tratar do assunto (ufaaaa).
As mesas (infernos dos infernos) também já estão pensadas, mas ainda faltam algumas confirmações (!!) e também há que saber gerir desistências de última hora, mas...parece-me que já me livrei desta dor de cabeça. A ver vamos.
As horas já estão marcadas na cabeleireira e na maquilhadora. Depilações e unhas também já estão orientadas (não quero ser uma noiva das cavernas).
Ahhhhhh! Não menos importante, também já temos a papelada para a nossa viagem de lua-de-mel (aiiiiiiiiii que nunca mais é sábado!!).
E pronto, parece-me que está tudo bem encaminhado, mas sendo eu uma pessoa um tudónada nervosa, tenho sempre aquela sensação de estar a escapar-me algo. Mas é para isso mesmo que vocês estão aí desse lado. Não pensem que é só para vir cuscar, pôr o bedelho e andor violeta. Têm de me prestar auxilio e alertar para o que me possa estar a passar ao lado, oubiiiraaaam? Se algo falha ainda sobra para vocês, estou já a avisar, hã!
Entretanto, já escolhi a indumentária para o Pepe:



AH! AH! AH! AH! AH!

24-09-2013 15-51-22

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Vidinha de solteira com os dias contados


Sem pilas na cabeça, sem strip de gajos em fio dental tigressss e plumas rosa-choque ao pescoço, sem maleta vermelha, tudo muito inocente e fofinho (como eu, ah! ah! ah!).
Coroas de flores na cabeça, placas na mão e trupe devidamente identificada, assim tudo começou. Ah! E com uns cupcakes deliciosos e super fofinhos feitos pela cunhada. Demos uma voltinha de moliceiro pela Veneza de Portugal com direito a espumante e ovos moles, e ainda fui ofertada com sal virgem. Nunca tinha ouvido falar em tal coisa, nem sei muito bem para que serve. Não sei se ponha no comer, se no banho, se o use como esfoliante corporal...sinceramente não sei que faça daquilo. Mas convém deixá-lo estar quietinho enquanto não me sentir elucidada, não vá algo de sobrenatural acontecer. Diz que é afrodisíaco.
Depois, fomos até à Costa Nova, onde tive de fazer um joguinho que consistia em responder a perguntas sobre o noivo ou sobre a nossa relação. Caso acertasse, tinha direito a um chocolate, caso errasse, tinha castigo! E o castigo era...beber um shot, baaaaahhhhhh eu sabia que não podia confiar nas minhas babes! Nem sei muito bem o que era pior, se enfardar chocolates ou se enfrascar-me de vodka-laranja. A prova foi superada com relativo sucesso. Estreei-me logo com o castigo, já que a minha pessoa não soube dizer qual o nome carinhoso com que sou tratada pelo futuro esposo. Caaaaaaalma, parece vergonhoso, mas a culpa não é minha, atenção!! São tantos que acertar no dito por ele era quase como acertar na chave do euromilhões. Enfim. Lindo, lindo foi quando me "chibei" toda numa pergunta mais picante (que vergoooooooooooonha) e, pelos vistos, o menino foi mais contido na hora de responder e achou por bem ocultar factos. Eu também teria achado, não fossem os shots que já tinha bebido antes.
À noite, jantarzinho bom, ainda pela Costa Nova, com a conversa a descer de nível e a subir de interesse e mais não digo (eu estava caladinha, só ouvia, hã?). Terminámos num bar conhecido da noite aveirense que é o degredo total, diga-se de passagem. Aquelas paredes escorrem azeite até mais não, mas a música é do melhor, daquela que gosto e que é óptima para abanar o esqueleto. Ainda contei com a presença de outras(os) "colegas" noivas(os) a despedirem-se da sua solteirice e agradeci a Deus por ter amigas minimamente decentes que não me obrigaram a andar tipo palhaça.
Obrigada às minhas meninas, gostei muito 
Ahhh! Enquanto eu andava por Aveiro, o meu futuro esposo andava a espalhar o pânico com os seus ilustres amigos pela Figueira da Foz. Diz que foi tudo muito pacifico e nada de mulheres (hã hã, acreditemos que sim).


P.S.: Como já deram conta, tem sido complicado actualizar o estaminé e isto anda assim meio às moscas, mas é por uma boa causa como sabem. E nada temam, porque depois do casório tudo voltará ao normal (até mesmo o nível de parvoíce do costume) e prometo partilhar o culminar destes últimos meses. Enquanto isso, sempre podem ir acompanhando as redes sociais já que essas sim, andam sempre on fire. Beijufas