#

sexta-feira, 24 de março de 2017

Cinco dias da semana, cinco looks #20

Da semana que marca o inicio da Primavera ou o recomeço do Inverno. Dúvidas.


quarta-feira, 22 de março de 2017

Foi o melhor que se arranjou #259


E de repente é Primavera. Embora os dias cinzentos, o frio e a chuva tenham regressado, já estamos na bonita e mais colorida estação do ano. Ainda não é o adeus definitivo ao Inverno, parece-me, mas mal posso esperar pelos dias, e dias, e dias a fio de sol. Precisamos de vitamina D. Faz bem ao corpo e alma. O sol deixa-nos mais bem dispostos, mais leves e de sorriso fácil nos lábios. Rejuvenesce.

O primeiro trimestre do ano está praticamente passado e é incrível como não dá para fugir da lenga-lenga de sempre: como o tempo passa TÃO depressa. Demasiado depressa. O pior é que não chega para tanto que queremos realizar. O pior do pior é sentir que será sempre assim. Olho para trás e vejo tarefas por cumprir, planos idealizados por pôr em prática, ideias que continuam a marinar e um blog a meio gás. Pode ser só uma fase, mas não tenho sentido energia suficiente para estar de corpo e alma em tudo o que pretendo. Vamos esperar que o segundo trimestre do ano traga a lufada de ar fresco que estou a precisar.

Quanto ao look que hoje partilho, o mood é um dos meus preferidos: sport chic. Calças estilo jogging e salto alto é daqueles contrastes que sempre gostei imenso. E este bomber - com o pormenor do "B" que desde logo me chamou a atenção (vá-se lá saber porquê :D) - encaixou super bem na vibe do look. Pelas redes sociais (que essas, pelo menos, vão estando sempre bem activas) vocês já devem saber que ando doida com as meias, seja de rede, seja com bolinhas, seja com estrelas, seja com bonecada, eu adoro esta tendência. Já pensei em deixar de seguir o Instagram da Calzedonia antes que comece a usar meias nas orelhas (ah! ah! ah!). Não sei se faz as delicias de todas, mas eu acho que é um pequeno detalhe que pode dar um toque muito bonito ao nosso look.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Cinco dias da semana, cinco looks #19

Agora, a preparar o post, é que dou conta que esta semana parece ter sido a semana das riscas. Nota-se muito que é o meu padrão preferido (logo a seguir às bolinhas)? :D 


quarta-feira, 15 de março de 2017

#nãotens7vidas #1: Primeira consulta de nutrição

Quando lançámos o passatempo, tinha noção que grande parte das participações seriam da zona de Aveiro/Águeda. Ainda assim, tivemos participantes tanto do Porto como de Lisboa, mas a vencedora acabou por ser mesmo aqui da zona e uma pessoa que já conhecia. Confesso que fiquei bastante feliz quando vi o nome seleccionado, por saber que poderia acompanhar tudo de perto e ao pormenor. 

Quando abordei a Rita a reacção foi mais ou menos do tipo "o quê?!! Mas eu nunca ganho nada!!", pois é, há sempre uma primeira vez e quem não arrisca não petisca.

Entretanto, já pusemos mãos à obra e a primeira consulta de nutrição foi no passado dia 8 de Março, na clínica Tempo e Palavras em Águeda. Até parece coisa propositada, mas foi uma feliz coincidência ter calhado no Dia Internacional da Mulher. Não que sejam precisas datas especiais, até porque todo o dia é dia, mas de facto o Dia da Mulher é sempre uma boa oportunidade com aquela dose extra de força para dar "O" passo, registar uma mudança há muito desejada, virar a página ou dar inicio a uma espécie de nova vida, nova vida essa que nos deixe mais feliz.


Fazendo um breve resumé do histórico da Rita relativamente ao seu peso, podemos dizer que nunca foi uma pessoa magra nem é um daqueles casos de que era "assim-assim" e começou a engordar, engordar, engordar. A Rita sempre teve um pouco de peso a mais e na adolescência chegou mesmo a pesar mais de 70 quilos. Segundo ela, comia imenso porque nunca estava satisfeita e não praticava exercício físico para além das aulas de Educação Física. Com o avançar da idade, começou a preocupar-se com o seu corpo e a dar mais importância à questão do peso saudável, isto, por volta dos 19/20 anos. Hoje, a Rita tem 28 anos e por si própria, apenas, e, claro, com toda a sua força de vontade conseguiu perder 10 quilos até aqui. Chegou mesmo a ficar abaixo dos 60 quilos, mas bastou um desleixo no ginásio para o ponteiro da balança voltar a subir

segunda-feira, 13 de março de 2017

Foi o melhor que se arranjou #258


Há muito que não tinha uma semana tão agitada. Em sete dias descansei dois. Sábado teve direito a dose dupla. O bootcamp, que quando posso não dispenso por nada, e não resisti, também, a um WOD no final do dia. Nem o domingo, por norma dia de descanso, escapou a este vicio bom que é praticar desporto e teve direito a corrida, desta feita, de modo a celebrar o Dia Internacional da Mulher. Sinceramente, pensei que fosse acordar sem energia, mas não, estava cheia de vontade de calçar as sapatilhas. O percurso não era longo (mais ou menos 8 kms), mas teve bastantes subidas e os treinos exigentes do dia anterior começaram a pesar nas pernas. Mas fez-se e cheguei ao fim super feliz e com aquele típico sentimento de satisfação e ainda deu para zumbar um bocadinho. Escusado será dizer que mal sentei-me no carro o cansaço baixou em mim e mais parecia ter levado porrada no corpo (ah! ah! ah!). Nada que um resto de domingo de preguiça não resolvesse.

O calor abrasador já lá vai, mas os bonitos dias de sol parecem ter ficado e ainda bem, porque as roupas levezinhas começam a chamar por mim. E as saudades que eu tinha deste meu blazer branquinho? Comprei-o no ano passado, mas voltou na colecção deste ano. Desta vez, também há em preto e digamos que estou aqui muito tentada em fazer-me a ele. Adoro-o por ser um modelo mais solto e descontraído, e, também, pelo franzido das mangas. Vai bem com saltos, vai bem com sapatilhas, vai bem com tudo. Eu cá não sou de intrigas, mas se fosse a vocês corria já para o site da Zara (ihihihih).

sexta-feira, 10 de março de 2017

Cinco dias da semana, cinco looks #19

Três semanas consecutivas a cumprir com esta rubrica é de louvar (vamos ver se não deixo a lambreta ir abaixo, ah! ah! ah!).

A semana começou com chuva, ainda com algum frio, e a coisa foi aquecendo, aquecendo até chegarmos ao bafo de ontem e hoje parece que não vai ser diferente. Acordar com o sol a brilhar de manhã cedo parece que dá logo outra energia, mas também não era preciso vir com este calô todo, né?

Já tinha saudades das peças mais leves, de andar só de blusa ou de mangas dobradas e tinha muitas, muitas saudades do meu blazer branquinho. E agora a pergunta é: será que já podemos pôr de parte as malhas e os casacos quentinhos?


quinta-feira, 9 de março de 2017

Pudim de Chia


Por vezes, nisto de ser saudável, é mais complicado conseguir variar nas refeições do que resistir aos chocolates, batatas fritas, pizzas e outros que tais. E digamos que é um tédio andar sempre a comer o mesmo pequeno-almoço, os mesmos lanches e as mesmas refeições.

Com umas pesquisas aqui, dicas dali e sempre com a ajuda e aconselhamento da Maria, ultimamente, tenho testado algumas receitas, essencialmente para o pequeno-almoço e snacks. Umas correm mal, outras precisam só de uns ajustes e outras saem perfeitas. E hoje tenho mesmo, mas meeeesmo de vos falar do pudim de chia.

Quando partilhei a minha primeira receita de papas de aveia (aqui), falei-vos da importância das sementes, de como são benéficas para a nossa saúde, nomeadamente, a chia (mas há mais). A chia é conhecida por desintoxicar, é rica em fibras, cálcios, proteínas e ácidos gordos ómega 3, contribuindo para o bom funcionamento dos intestinos. Se a chia tem tantos benefícios, o pudim de chia só pode ser TUDO DE BOM.

E é. É uma receita saudável (rica em fibra, não tem açúcar nem gorduras más), nutritiva e super fácil de fazer. É perfeito para quando estamos com desejos de algo doce e prestes a pecar (não é a mesma coisa que comer umas natas do céu, óóóóbvio, mas engana bem o estômago). Também é óptimo para quem treina de manhã, porque é leve e rápido de consumir (e nem perdem tempo a preparar, porque fica feito do dia anterior). Querem melhor?

A receita é super simples, podemos variar os ingredientes, especialmente, os toppings, e o ideal é deixar no frigorífico de um dia para o outro e juntar o topping no momento de comer. Da minha experiência, posso dizer que aguenta bem no frigorífico durante 5 dias (perde alguma consistência, mas o sabor mantém-se), pelo que podem preparar os vossos pudins de chia durante o fim-de-semana para não perderem tempo durante a semana (que já sabemos que andamos sempre a mil).
Experimentem e depois digam-me se está aprovado.

Ingredientes (2 taças):

- 150ml de leite de amêndoa;
- 200g de iogurte magro;
- 2 colheres de sopa rasas de chia;
- Stevia (opcional, eu não usei e ficou igualmente bom);
- Topping: papaia e avelã triturada.

Preparação: Misturar todos os ingredientes numa tigela bem misturados, esperar uns cinco minutos só para deixar engrossar e depois é só dividir pelas taças e colocar no frigorífico. Na hora de comer, juntar o topping.


Atenção: não abusar nas quantidades de chia. São benéficas, mas também têm gordura, por isso, atenção às colheres rasas e não cheias! :D


NÃO AGUENTO!!!

Snapchat: @gatasaltosaltos
Uma pequena pausa antes do xixi-cama só para dizer que aqui a vossa amiga do peito, depois de ver a sua massa gorda de estimação sempre a subir desde o Natal - sim, eu partilhei a consulta de Janeiro que dava conta de uma subida de 1,5% (19,8% para 21,5%), mas nem cheguei a partilhar a consulta de Fevereiro (tal foi o tédio!!) que registou a subida de mais 1% (ou seja, de 21,5% para 22,3%) -, consegue a proeza de em menos de um mês (a última consulta foi a 18/2) baixar 2% de massa gorda!! Dois, gente, dooiiiiiis!! Tipooooo, DOIS!! Não foi um, mas sim DOIS!! E eu estou aqui que não me aguento de tanta excitação. Oh yeeeaaaaaaaaaahhhh!! :D :D
Bom, parece que estava mesmo a precisar de mudar o tipo de treino e apesar de não ter um mês de crossfit, os resultados já estão à vista. Confirma-se, o corpo cai mesmo em rotina e volta e meia precisa de um "abanão" para acordar para a vida.
Hoje não era o dia da minha consulta, mas aproveitei a consulta da Rita (que mais tarde vou partilhar aqui) para ver como é que estava de massas. Vamos ver se até dia 22 (data da consulta) derreto mais 1 ou 2% de banha.
Inté.

quarta-feira, 8 de março de 2017

"Ame-se mais"

"As mulheres felizes são as mais bonitas" é uma deixa que vou associar sempre ao Boticário e não podia concordar mais. Quando nos sentimentos felizes até podemos ter a borbulha mais nojenta na ponta do nariz ou estar em pleno "bad hair day", que vamo-nos sentir sempre as mais gatas das gatas. Não sei explicar bem a relação, mas basta pensar naqueles dias em que estamos zangadas com o mundo inteiro e até vamos às compras para aliviar o stress (o típico anti-depressivo feminino), experimentamos tudo e mais alguma coisa e nada parece ficar bem. É que nem uma mala Chanel nos faz sentir melhor. Por outro lado, temos aqueles dias em que nos sentimos felizes da vida e cheias de energia para conquistar o mundo, e aí qualquer trapinho serve e tudo parece assentar como uma luva. Porque a felicidade tem um efeito muito positivo no nosso estado de espírito. Ajuda-nos a ter mais atitude, a ter mais auto-estima, a ser mais confiantes, dá aquela boa vibe e alimenta o bonito sentimento de estar de bem com a vida.

Se é possível ser feliz todos os dias? Depende. Não sendo possivel ser feliz a toda a hora e a todo o minuto, acredito que é possível encontrar a felicidade em vários momentos do nosso dia. Ajuda muito saber ser feliz nas mais pequenas coisas. Eu, por exemplo, sou feliz quando o meu Pepe salta para a cama para me dar os bons dias, quando anda doido pela casa a correr e a pedir brincadeira, quando preparo o meu pequeno-almoço, quando testo receitas novas, quando faço pesquisas sobre temas do meu interesse, também sou feliz no caminho para o ginásio mesmo quando esperam-me uma série de burpees (eu não disse isto!!!) ou quando vou correr com os meus colegas, e em tantos outros momentos.
E a verdade é uma, podemos ter tudo na vida que vamos sentir sempre falta de alguma coisa, a vida pode correr como esperamos mas ao mínimo obstáculo vamos maldizer e dizer que não temos sorte nenhuma e que isto e que aquilo. No fundo, nunca vamos ser felizes a 100%, nem a vida vai correr sempre como desejamos, mas o segredo é simples: ver o copo meio cheio e nunca vê-lo meio vazio.

E nisto de sermos felizes e bonitas temos o Boticário que anda uma vida a cuidar de nós e, como tal, não podia deixar passar este dia - Dia da Mulher - em branco. Assim, a marca vai oferecer a 60 mil mulheres uma loção corporal daquelas tão cheirosas que revitalizam. E o melhor? Não é preciso realizar uma compra, basta fazer um simples registo na loja com a apresentação do BI/CC. Para quem efectuar compras na loja online a marca também oferece uma loção, independentemente do valor da compra.

Ser feliz também é cuidar de nós. É mimar a nossa pessoa. É praticar a lei do "bem-me-quero". Porque "beleza" é ser a melhor versão de nós mesmas, por dentro e por fora.
Be happy my girls 


(para detalhes, info de preços e para ver outros artigos basta clicar em cada produto.)



Nota: cliques monetizados.

Foi o melhor que se arranjou #257


Alguém que me explique, hã hã, como é que ainda na semana passada, PI-OR, como é que ainda na segunda-feira estava um frio de bater o dente, chuva e até neve em alguns pontos de Portugal Continental e hoje já se começa a sentir um bafo de calor e amanhã e além dão mesmo 28 Cº!! Coooomo é que é possível, hum? Ainda por cima, hoje trago-vos um look mesmo à Inverno, com direito a lã e gorro, e quase que sinto umas gotinhas de suor na testa só de olhar para as fotos (ah! ah! ah!). Peçam o livro de reclamações à Mãe Natureza, sim?

Auguro que este será o último look assim mais invernoso, por isso, adeus gorros fofinhos, adeus malhas grossalhonas e quentinhas, adeus cachecóis bigalhões e adeus casacos de Inverno. Se há umas semanas atrás não queria dizer um "adeus" tão precoce ao tempo mais cinzento, neste momento, já me sinto a entrar em modo Primavera e já anseio pelas temperaturas amenas e por dias repletos de sol. Começa-me a apetecer andar só de blusa, t-shirts e blazer, de vestidos e calças fluídas, enfim, as roupinhas mais leves começam a mexer aqui com os meus sentimentos e a culpa são das lojas que estão repletas de coisas giras nas horas.

E para já é isto. Sei que continuo muito ausente daqui, continuo com assuntos pendentes por partilhar, mas não tenho conseguido chegar a todo o lado. O ter uma vida bastante activa também não facilita, porque depois de um WOD ou de uma corrida eu quero é cair na cama e acordar só ao outro dia. Mas vou tentar reorganizar-me, até porque este é um espaço que me diz muito e confesso que mexe-me com os nervos não conseguir dedicar-me como gostaria.


P.S.: Lembram-se do passatempo "#nãotens7vidas"? Hoje é a primeira consulta de nutrição da Rita e acho que estou mais ansiosa do que ela (ah! ah! ah!). Oito de Março, Dia da Mulher, até parece que a data foi escolhida a dedo, mas não, foi uma feliz coincidência. Todos os dias o são, mas porque não ir buscar uma força extra a uma data como esta para mudar hábitos e para fazermos por sermos mais felizes e confiantes?
Tenham um dia feliz 

sexta-feira, 3 de março de 2017

Cinco dias da semana, cinco looks #18

A semana em trapinhos.


quarta-feira, 1 de março de 2017

É preciso falar sobre isto!


Óculos de sol. Não, não vamos falar do João Braga, nem da Nicole Kidman a bater palmas, nem do "Trampas" quando há coisas bem mais interessantes a saber, como por exemplo, onde encontrar óculos de sol mega giros. Eu sei que está de chuva, mas todos nós sabemos que este é daqueles acessórios indispensáveis em qualquer altura do ano, quanto mais não seja, e como se costuma dizer, só para mandar estilo.

Também sabemos que a sua função principal é proteger as vistinhas do sol, mas, na realidade, existem mil e uma motivações que nos levam a usá-los. Vejamos... Quantas vezes usamos óculos de sol só para esconder umas olheiras denunciadoras de noites mal dormidas ou até mesmo aquela are de "deusmalivre"? Ou para esconder uns olhos de choro? Ou apenas para complementar o nosso look e mandar cenário? Ou para observarmos sem sermos observados? Ou para nos sentirmos mais confiantes? É por estas e por outras que encontramos sempre umas quantas almas de óculos de sol na cara até mesmo nos dias mais cinzentos. Ou, ainda, aquela pessoa que entra em cafés ou lojas e não retira os seus belos óculos de sol como se estivesse um sol de ofuscar.

Não sendo propriamente uma coleccionadora de óculos de sol, tenho alguns e sinto necessidade de andar sempre com uns na mala. Se sair de casa sem óculos, é como se tivesse saído e deixado um rim em casa. Às vezes acontece-me não ter os que realmente queria porque esqueci-me de trocar, mas isso são pormenores. Há quem diga que tenho rosto para qualquer modelo, mas confesso que ainda não descobri qual o meu preferido e se antes gostava dos modelos bem graaaandes à mosca tsé-tsé, hoje nem por isso.

E vocês? Contem-me tudo. Quem aí desse lado muda de óculos de sol como quem muda de cuecas? Quais as vossas marcas preferidas e quais os modelos que melhor vos assentam?

Pudesse eu e fazia-me a todos os óculos da Ray Ban, Carrera e da Dior, não podendo, tenho dois assim melhorzinhos e depois tenho encontrado na Parfois modelos super giros (e bem mais acessíveis, naturalmente) para variar mais.
E nos entretantos, descobri outra marca igualmente acessível e é isso que pretendo partilhar com vocês, embora, acredite que a maioria já conheça. Recentemente, a Hawkers ofereceu-me dois modelos e fiquei fã. Adoro a forma como assentam e são LINDOS. O nome da marca não me era estranho de todo, mas nunca tinha visto com olhos de ver e, a verdade, é que tem imensos modelos para todos os gostos e feitios. Os modelos que recebi são o Ace e o Warwick - ultimamente são os que andam sempre na mala -, mas deixo-vos mais abaixo com alguns dos modelos que podem encontrar.

(para saber preços e outros detalhes, basta clicar em cada um deles)

Nota: cliques monetizados.

Foi o melhor que se arranjou #256


Habituava-me fácil a isto. Trabalhar um dia, pausa, trabalhar outro dia, pausa, trabalhar outro dia, fim-de-semana. Se o mundo fosse perfeito era assim, mas como não é, aguentemo-nos.

E hoje trago outra novidade aqui do closet: o casaco. Adoro casacos assim mais marcantes, com um padrão ou detalhe que se destaque. São perfeitos para os dias práticos, para quando não apetece pensar muito no que vestir ou para quando "descomplicar" é a palavra de ordem. São a peça perfeita para dar aquele "up" nos nossos looks mais básicos, porque o básico não tem de ser desinteressante.

Quando vi este casaco no site depositei-lhe todas as minhas expectativas e não desiludiu. A estreia foi assim, bem descontraída - boyfriend jeans e sapatilhas -, mas já o imagino num registo mais elegante e num all black - blusa preta, jeans pretos e stilettos pretos. Hummm, quem sabe se não será o look para amanhã?