#

quinta-feira, 6 de julho de 2017

#nãotens7vidas #4: no bom caminho

Para a semana tanto eu como a Rita temos consulta marcada com a Maria. Se os resultados forem tão bons quanto os alcançados no mês passado, só teremos motivos para sorrir.

A Rita desde o inicio tem registado uma evolução bastante positiva. Chegou à Maria com 28,9% de massa gorda e na última consulta registava 25%. Em dois meses conseguiu perder 3,9% de gordura o que é muito bom. Fora o volume que já perdeu na zona abdominal. O peso não oscilou muito, porque a par da diminuição de massa gorda tem aumentado a massa muscular, mas o caminho é este.

Atitude e força de vontade são a base de tudo.
Conseguir o queremos só depende de nós mesmas.
E quem quer consegue.

Quanto a mim, também saí bastante satisfeita da última consulta. Não ganhei tanta massa muscular como no mês anterior (apenas 100g), mas voltei a diminuir a massa gorda e nunca a tive tão baixa como agora, apesar de várias facadas na alimentação: 18,1% (yupiiiiiii). Sempre disse que gostava de baixar até aos 17%, ou 16,9% vá, pelo que já vejo a luz ao fundo do túnel. Os abdominais também (yeeeeaaaahhhhh!!). De manhã é um regalo olhar para o espelho, com o avançar do dia vou inchando, inchando, enfim, cenas de gaja (e de pessoas sem vesícula).

Terça-feira não sei muito bem o que esperar da balança, porque as facadas na alimentação continuam (as festividades assim obrigam), no entanto, não estou minimamente preocupada, porque o que realmente importa não são as percentagens de massa corporal, mas sim sentirmo-nos bem e gostarmos de nós todos os dias. E eu sinto. 




quarta-feira, 5 de julho de 2017

Cadê? Cadêêêê eles?!

Entrámos oficialmente no Verão há, sensivelmente, duas semanas e tem estado uma brasa aideusnossosenhormacuda. Que não se aguenta, vá. Impossível não pensar em férias, em praia, em mar, (em nadadores salvadores de 1,80 para cima, morenos e com um six-pack de ficar com um tique nervoso no olho esquerdo), em gelados (deixo as bolas de Berlim para vocês) e em biquínis. Sim, biquínis. Lamento informar, mas chegou a hora da verdade. A hora de mostrar ao mundo o corpinho que Deus (e todas as alarvidades que metemos à boca) nos deu e com ele toda a celulite que povoa em nós. MEDO. Nós mulheres devemos ter feito muito mal noutra vida para ter de carregar tamanha cruz. Mas nãããããã, não vale a pena desatarem a fazer exercício físico de manhã à noite que nem umas perdidas, nem entrar em dietas loucas, porque não vão conseguir a proeza de fazer em um/dois meses aquilo que deviam ter feito o ano todo. Milagres só os de Fátima.

Mas a celulite já é um drama velho, carrancudo e com barbas brancas, uns quilitos a mais também. Eu, este Verão, descobri um drama ainda maior de tão estúpido que é, que passo a citar: encontrar um biquíni giro. O drama, a tragédia, o horror. Para quêêêêê "eat clean", para quêêêê "work hard play hard", para quêêêê "no pain no gain", para quêêêêê "operação biquíni" quando na realidade não se tem um biquíni hiper-mega-giro para nos fazermos passear lindas e maravilhosas por esses areais fora? É isto minhas amigas. Toda uma inquietação que se apoderou de mim este fim-de-semana. Foi um entra e sai de lojas que só de lembrar fico com suores no bigode. O meu humor de ratazana ia aumentando à medida que as hipóteses iam diminuindo. Apreciem só.

A primeira loja a entrar foi a Calzedonia. Tinha visto umas coisinhas muito engraçadas no site e estava a apostar tudo na dita cuja e a crer que arrumava o tema logo ali. Só que não. Como sempre, as lojas físicas não têm metade dos artigos que estão disponíveis online e eu sou aquela pessoa que se recusa a comprar biquínis sem experimentar (sob pena de ficar com este projecto de mamas a nadar). Bom, saí da loja e fui (ou fomos, já que era eu e mais três na saga) viradinha à Women'Secret e nada. Oysho nada. Já estava por tudo e até na Sport Zone passei os olhos, mas rien de rien. Última paragem e já sem esperança nenhuma na humanidade, Tezenis. Bom, no meio de muita coisa a roçar o pindérico e sem jeito nenhum, lá encontrei uma parte de baixo que me encheu as medidas. É provável que para o ano não tenha uma cueca de biquíni e sim uma tenda de circo, mas pelo preço não posso esperar lagosta. Nisto, ficou apenas meio assunto resolvido já que ainda faltava a parte de cima. Como a cueca eleita tem padrão preferia que a parte de cima fosse lisa, e na Tezenis as partes de cima dos biquínis de uma só cor mais pareciam soutiens. Estava quase a dar de frosques e a deixar a parte de cima para outro dia, quando resolvi voltar à Calzedonia e dar uma olhadela nos básicos e pumbas, encontrei uma parte de cima que gostei. Simples mas assenta na perfeição como se quer.


Posto isto, estou remediada mas não totalmente satisfeita. Por isso...cadêêê biquínis giros, geeente, cadê? Vocês não sejam invejosas, pindéricas e trogloditas e partilhem aqui com a malta, sim? Quero saber onde é que eles andam. E nem ousem mencionar as letrinhas "C", "A", "N", "T", "E" sob pena de começar a distribuir chapada. Primeiro, recuso-me a dar 100€ ou mais por um bocadinho minúsculo de tecido que só uso durante um/dois meses num ano inteiro; segundo, recuso-me a fazer quilómetros por causa de um mero biquíni (e não, não arrisco a comprar online, já diiiiiiisse) e terceiro, bem sei que lá encontro biquínis giros às paletes. Vá, aguardo vossas sugestões.


Nota: vamos ignorar (pelo menos para já) outro período de blackout e qualquer justificação. Hoje apeteceu-me escrever e é o que importa.