#

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Eram umas destas e não se falava mais no assunto

NIKE

terça-feira, 1 de agosto de 2017

"Cada dia pode ser um novo começo, respira fundo e começa de novo."

Estava aqui numa espécie de estado vegetativo, quando resolvi "puxar a fita atrás" aqui no estaminé e ver o que andava a fazer mais ou menos por esta altura em anos anteriores. Ando numa fase de retrospectivas e ter um blog com quase quatro anos ajuda a relembrar momentos já passados, desde os mais sérios aos mais parvos. Recordam-se situações, pessoas, ri-se, chora-se, enfim, não está cá tudo, mas está alguma coisa.

1 de Agosto de 2014: ao que parece, há três anos já estava de férias e tinha aproveitado o dia para praticar o dolce far niente que traduzindo à letra não foi mais do que bater perna pelo shopping e trabalhar para o bronze, curiosamente, na companhia de uma pessoa que já não faz parte da minha vida. Estava em vésperas de casório - 2014 foi o ano da saga dos casamentos (existem registos de 127 posts sobre o tema e discussões deveras interessantes) - e de partir de férias para Djerba. De notar no post em questão como sou uma pessoa bastante muito asseadinha, já que entre casório e ter de fazer uma mala para ir de viagem ainda estava preocupada em deixar a casa devidamente ajeitada. Foi o mês em que fiquei noiva.

3 de Agosto de 2015/ 31 de Julho de 2015: não houve post no dia um, mas fui ler os dias próximos da data e verifiquei que arranquei o mês de Agosto com um "Foi o melhor que se arranjou" daqueles muito "eu". Comentava, também, o facto da agitação do mês de Julho ter terminado. O belo do mês do Agitágueda que este ano passou-me completamente ao lado.
Se formos um pouquinho mais atrás, 31 de Julho de 2015, temos um dos 327 posts da rubrica "Noiva à beira de um ataque de nervos", afinal, faltava pouco mais de um mês para dizer o "sim" no altar.

2 de Agosto de 2016: à semelhança dos dias de hoje, há um ano o blog também estava em segundo plano, por razões diferentes, mas estava. Andava ansiosa para mudar de casa e estava quase a cortar os pulsos com o fandango do "ahhh mudamos este fim-de-semana, ai afinal não, as obras ainda não terminaram, ahhhh mudamos este fim-de-semana, ai afinal não, ainda falta isto, aquilo e o c@%&#, (...)". Só mesmo um par de sapatilhas novo para me acalmar os nervos.

E agora...é o que está. Não é o fim do mundo mas quase. Uma montanha russa de sentimentos. E é difícil não desanimar. Não viver os dias angustiada e com o coração apertadinho. Tento acreditar que tudo segue um propósito qualquer, mas na hora "H", quando mais se precisa, fica difícil. Coragem. A vida pede muita coragem, principalmente, na hora de tomar decisões. Podemos errar, mas pior que errar é a cobardia do conformismo. E que atire a primeira pedra quem nunca cometeu um erro na vida.