#

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Ahhhhhhh os saldos!!

Aqui

Aqui

Aqui

quinta-feira, 6 de julho de 2017

#nãotens7vidas #4: no bom caminho

Para a semana tanto eu como a Rita temos consulta marcada com a Maria. Se os resultados forem tão bons quanto os alcançados no mês passado, só teremos motivos para sorrir.

A Rita desde o inicio tem registado uma evolução bastante positiva. Chegou à Maria com 28,9% de massa gorda e na última consulta registava 25%. Em dois meses conseguiu perder 3,9% de gordura o que é muito bom. Fora o volume que já perdeu na zona abdominal. O peso não oscilou muito, porque a par da diminuição de massa gorda tem aumentado a massa muscular, mas o caminho é este.

Atitude e força de vontade são a base de tudo.
Conseguir o queremos só depende de nós mesmas.
E quem quer consegue.

Quanto a mim, também saí bastante satisfeita da última consulta. Não ganhei tanta massa muscular como no mês anterior (apenas 100g), mas voltei a diminuir a massa gorda e nunca a tive tão baixa como agora, apesar de várias facadas na alimentação: 18,1% (yupiiiiiii). Sempre disse que gostava de baixar até aos 17%, ou 16,9% vá, pelo que já vejo a luz ao fundo do túnel. Os abdominais também (yeeeeaaaahhhhh!!). De manhã é um regalo olhar para o espelho, com o avançar do dia vou inchando, inchando, enfim, cenas de gaja (e de pessoas sem vesícula).

Terça-feira não sei muito bem o que esperar da balança, porque as facadas na alimentação continuam (as festividades assim obrigam), no entanto, não estou minimamente preocupada, porque o que realmente importa não são as percentagens de massa corporal, mas sim sentirmo-nos bem e gostarmos de nós todos os dias. E eu sinto. 




quarta-feira, 5 de julho de 2017

Cadê? Cadêêêê eles?!

Entrámos oficialmente no Verão há, sensivelmente, duas semanas e tem estado uma brasa aideusnossosenhormacuda. Que não se aguenta, vá. Impossível não pensar em férias, em praia, em mar, (em nadadores salvadores de 1,80 para cima, morenos e com um six-pack de ficar com um tique nervoso no olho esquerdo), em gelados (deixo as bolas de Berlim para vocês) e em biquínis. Sim, biquínis. Lamento informar, mas chegou a hora da verdade. A hora de mostrar ao mundo o corpinho que Deus (e todas as alarvidades que metemos à boca) nos deu e com ele toda a celulite que povoa em nós. MEDO. Nós mulheres devemos ter feito muito mal noutra vida para ter de carregar tamanha cruz. Mas nãããããã, não vale a pena desatarem a fazer exercício físico de manhã à noite que nem umas perdidas, nem entrar em dietas loucas, porque não vão conseguir a proeza de fazer em um/dois meses aquilo que deviam ter feito o ano todo. Milagres só os de Fátima.

Mas a celulite já é um drama velho, carrancudo e com barbas brancas, uns quilitos a mais também. Eu, este Verão, descobri um drama ainda maior de tão estúpido que é, que passo a citar: encontrar um biquíni giro. O drama, a tragédia, o horror. Para quêêêêê "eat clean", para quêêêê "work hard play hard", para quêêêê "no pain no gain", para quêêêêê "operação biquíni" quando na realidade não se tem um biquíni hiper-mega-giro para nos fazermos passear lindas e maravilhosas por esses areais fora? É isto minhas amigas. Toda uma inquietação que se apoderou de mim este fim-de-semana. Foi um entra e sai de lojas que só de lembrar fico com suores no bigode. O meu humor de ratazana ia aumentando à medida que as hipóteses iam diminuindo. Apreciem só.

A primeira loja a entrar foi a Calzedonia. Tinha visto umas coisinhas muito engraçadas no site e estava a apostar tudo na dita cuja e a crer que arrumava o tema logo ali. Só que não. Como sempre, as lojas físicas não têm metade dos artigos que estão disponíveis online e eu sou aquela pessoa que se recusa a comprar biquínis sem experimentar (sob pena de ficar com este projecto de mamas a nadar). Bom, saí da loja e fui (ou fomos, já que era eu e mais três na saga) viradinha à Women'Secret e nada. Oysho nada. Já estava por tudo e até na Sport Zone passei os olhos, mas rien de rien. Última paragem e já sem esperança nenhuma na humanidade, Tezenis. Bom, no meio de muita coisa a roçar o pindérico e sem jeito nenhum, lá encontrei uma parte de baixo que me encheu as medidas. É provável que para o ano não tenha uma cueca de biquíni e sim uma tenda de circo, mas pelo preço não posso esperar lagosta. Nisto, ficou apenas meio assunto resolvido já que ainda faltava a parte de cima. Como a cueca eleita tem padrão preferia que a parte de cima fosse lisa, e na Tezenis as partes de cima dos biquínis de uma só cor mais pareciam soutiens. Estava quase a dar de frosques e a deixar a parte de cima para outro dia, quando resolvi voltar à Calzedonia e dar uma olhadela nos básicos e pumbas, encontrei uma parte de cima que gostei. Simples mas assenta na perfeição como se quer.


Posto isto, estou remediada mas não totalmente satisfeita. Por isso...cadêêê biquínis giros, geeente, cadê? Vocês não sejam invejosas, pindéricas e trogloditas e partilhem aqui com a malta, sim? Quero saber onde é que eles andam. E nem ousem mencionar as letrinhas "C", "A", "N", "T", "E" sob pena de começar a distribuir chapada. Primeiro, recuso-me a dar 100€ ou mais por um bocadinho minúsculo de tecido que só uso durante um/dois meses num ano inteiro; segundo, recuso-me a fazer quilómetros por causa de um mero biquíni (e não, não arrisco a comprar online, já diiiiiiisse) e terceiro, bem sei que lá encontro biquínis giros às paletes. Vá, aguardo vossas sugestões.


Nota: vamos ignorar (pelo menos para já) outro período de blackout e qualquer justificação. Hoje apeteceu-me escrever e é o que importa.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Foi o melhor que se arranjou #268


Cooooomo é que já vamos a meio do mês? Não, pior que isso é mesmo: COMO é que já vamos a meio do ano? Desculpem-me, mas há muito que não vinha aqui queixar-me de como o tempo passa a galope. Juro que ainda ontem estava com os pés na lareira e tapada até às orelhas. Quando na realidade é quase Verão. E não tarda cheguei aos "intas" (MEDO), e não tarda é Natal, e não tarda estamos todos janotas (ou não) e com um copito a mais (ou não) em modo "10, 9, 8, 7 ..., 1, bibó Ano Novo" eeeeee...pronto, já me calei.

Esqueçamos então a velocidade do tempo e vamos mas é falar de coisas giras. Já vos disse que adoro lenços e tem sido, sem duvida, o acessório que tenho usado e abusado ultimamente (quem me vai acompanhando pelo stories do Insta sabe disso).
São o acessório must-have desta estação (momento "pessoa-armada-em-fashion-adviser-não-incomodar-por-favor") e dão um toque bastante trendy e divertido aos nossos looks. Com eles é super fácil transformar um look básico numa coisinha assim mais interessante.

Estamos conversadas em relação aos acessórios - na sua qualidade o lenço -, falemos agora das saias de ganga que a par com os casacos (do mesmo material e que já vos falei precisamente no post anterior) andam a dar tuuuuudo esta Primavera/Verão. Pois é, não há como fugir delas, estão em todas as lojas e em todas as formas e feitios. Por isso, já sabem, lencinho (no pescoço, na cabeça, no pulso ou na mala) e uma saia de ganga e bora ser felizes nestes dias de sol.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Foi o melhor que se arranjou #267


Não me canso de dizer o quanto adoro rumar à Invicta. Vocês estão podres de saber que foi a cidade onde estudei e onde vivi durante quatro anos. Faço parte daquele grupo de pessoas que é bastante agarrado à sua terra e à sua gente, no entanto, vejo no Porto a única cidade que eu trocaria pela minha terra natal. Lá sinto-me em casa. Reconheço cheiros e deixo-me encantar pelas ruas tão sóbrias e austeras e pelos edifícios arquitectónicos que me fazem viajar no tempo. A Ribeira e toda aquela paisagem fantástica que me é tão familiar. E a gente. Gosto daquela gente tão simples, tão transparente, tão dona do seu nariz e tão sem papas na língua. E gostava de ir mais vezes ao Porto do que aquelas que realmente vou.

Quanto ao look, não há muito a dizer. Um branco total confortável contrastado pelo casaco de ganga, peça que tem tanto de básica como de essencial. E este ano há tantos e tantos modelos diferentes nas lojas - esfarrapados, com aplicações, com bordados, com mensagens, com lavagens diferentes -, é só escolher aquele com que nos identificamos mais. Os folhos também são um dos detalhes que marcam as peças desta estação e dão aquele toque mais especial e girly aos nossos looks.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

COOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOMO???

Mas coooooooooooooomo é que ousaram tirar o Magnum Manteiga de Amendoim do mercado?!! COOOOOOOOMO?!!! A quem é que eu devo apertar o pescoço? À Cristina Ferreira? À Rita Pereira?! A queeeemmmmmm?
Estou em choque. Não se ferem assim os sentimentos de uma pessoa, snif, snif.


R.I.P. Magnum Manteiga de Amendoim
Snif
Snif
Snif


terça-feira, 6 de junho de 2017

Então e tu, Gata, como é que andam essas massas?

Perguntam vocês. Pois que saí bastante satisfeita da última consulta de nutrição (que foi no inicio do mês passado). Depois de meses sem conseguir aumentar a massa magra, foi desta que consegui ganhar praticamente 1 kg de chicha da boa (músculo, vá) e, além disso, encontro-me novamente abaixo dos 20% de massa gorda (19,8% mais precisamente).

Desde que percebi que o peso da balança é pouco relevante, que a minha atenção passa por controlar a massa corporal de forma saudável e da forma que me faz sentir bem no meu corpo. Na realidade, e tendo for base a minha estatura, de nada vale pesar 56/57 quilos (o meu peso ideal) se a massa gorda for de 30% (percentagem esta já indicativa de excesso de peso). Por isso, não me incomoda ver o peso da balança a aumentar desde que seja fruto do aumento da massa muscular.

Para quem possa estar aqui pela primeira vez, eu nunca fui gorda, fui sim uma "falsa magra" como há tantos e tantos casos, tendo a coisa piorado no final de 2015 (ganhei 4 quilos assim "do nada"). Mas ainda há muito aquela ideia de que quem aparenta ser magra não precisa de fazer dieta e, por consequência, há ainda quem ache que fazer dieta é apenas e só perder peso. É por isso que quando me vêm com o "ah e tal fazes dieta" eu respondo "não, eu faço uma alimentação saudável", até porque o meu objectivo neste momento passa por aumentar peso e não diminuir. Mas nada melhor do que comparar dois casos e perceber o que é realmente um peso saudável e um "peso disfarçado de saudável" ou o que é uma pessoa realmente magra e uma "falsa magra".

Quando cheguei à Maria a primeira vez, pesava 61,4 kgs e estava com 25,8% de massa gorda, percentagem essa já com um pezinho no que é considerado excesso de gordura. Em conversa sobre o Biquini Fitness etc e tal, a Maria disse-me que pesava 60 kgs. Estão a ver um burro a olhar para um palácio? Pronto, fiquei tal e qual, quiçá mais burra ainda. E porquê? Porque vendo o meu peso e olhando para mim e para a Maria (visivelmente bem mais magra do que eu), eu diria que ela pesaria uns 52 quilitos. A diferença é que enquanto eu boiava em gordura (25,8%), a Maria tinha apenas 10% de massa gorda e todo o resto era carninha da boa, da grossa, da saudável, estão a ver? E já sabemos que músculo pesa bem mais do que gordura.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Foi o melhor que se arranjou #266


Tirar estas fotos foi um verdadeiro teste à minha paciência e uma autêntica bomba-relógio para o meu mau feitio, que é quase nulo (senão o provocarem, ah! ah! ah!). Vento, vento e mais vento, baaaaahhhhh!!!
Fazer vento, aliás, estar uma ventania dos diabos em Aveiro não é propriamente algo estranho, é só a cidade no seu estado de graça puro, mas uma pessoa mantém sempre a ínfima esperança de conseguir passear pelas bonitas ruas da cidade sem ficar com o cabelo como se tivéssemos acabado de ser albaroadas pela rebentação de uma onda (quem desconhece a experiência, não teve uma infância feliz). "Ahhhhh vamos tentar aqui que parece estar mais abrigado" e TAUUU, mais uma rajada de vento e cabelos com vida própria. "Agora, agora, agora que está menos vento" e TAUU, cabelo para a frente das fuças. Gente, estava capaz de cuspir fogo. Posto isto, se detectarem um certo ar de poucos amigos nas fotos que se seguem é porque sim, estava no meu momento "não-puxem-do-isqueiro-que-expludo".

Nota 1: já vos disse que adoro verde-tropa?
Nota 2: já vos disse que adoro lenços e que ainda este fim-de-semana marcharam mais dois cá para casa? :D

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Pão de Banana


Esta receita já estava prometida há algum tempo e à semelhança dos últimos tempos: tardo mas não falho. Quando partilhei esta minha experiência na cozinha no Instagram, instalou-se tamanho surubudu que não podia mesmo deixar de vos partilhar a receita. Até porque se é para partilhar alguma coisa, que sejam coisas boas.

Na falta de algo mais interessante para fazer e estando o tempo tipo o dia de hoje - nem está bom nem está mau (está uma m*rda) -, adoro enfiar-me na cozinha e testar receitas saudáveis para as refeições em geral, mas, especialmente, para o pré-treino uma vez que é o lanche que me vai dar a energia necessária para treinar com garra.

Uma das minhas últimas experiências foi este Pão de Banana que vocês taaaaanto reclamaram pela receita. Tipo...PÃO DE BA-NA-NA? Nunca me imaginei a fazer pão muito menos de banana, mas geeeeente, é mega delicioso!! E o melhor é que não fica seco, muito pelo contrário, fica super húmido e mantém-se assim mesmo com dois ou três dias. E é uma excelente opção para o lanche antes do treino. Barrado com manteiga de amendoim então, hummmmmm, ma-ra-vi-lha.
Experimentem fazer e depois contem-me tudo. =))

Toda uma reputação por água abaixo em 3, 2, 1...




Obrigada minha querida irmã, também gosto muito de ti (mas gostava mais ainda de quando te enfiava o dedão grande do pé no nariz, ah! ah! ah! ah!). Estes tesourinhos deprimentes estão mesmo a pedi-las (se é que m'entendes)!!
Já agora, feliz Dia da Criança.
❤️

quarta-feira, 31 de maio de 2017

#nãotens7vidas #3: os resultados da primeira prova de fogo


Não tarda estamos na terceira consulta de nutrição da Rita e eu sem vos passar o feedback da segunda. Mais vale tarde do que nunca, não é verdade? Bom, em meados do mês de Abril tivemos a primeira prova de fogo: avaliar o resultado do primeiro mês de hábitos alimentares mais saudáveis e equilibrados. Resultados esses que foram bem visíveis. Passado mês e meio a praticar uma alimentação mais saudável e exercício físico de forma mais regular, a Rita conseguiu perder 1,300 Kg, diminuir a massa gorda em 1,9%, aumentar 1 kg de massa magra, perder 4 cm de perímetro abdominal e a sua idade metabólica passou de 24 para 17 anos. TAUUU, vai buscar!! :D Com o excelente acompanhamento da minha "nutri" fofinha, com os treinos do Bruno e as idas à box não podia ser de outro jeito.

Os resultados foram fantásticos e fiquei muito orgulhosa da minha Ritinha. Segundo ela, a única coisa mais complicada de gerir na adaptação ao plano alimentar tem sido os almoços ao nível das quantidades. E, claro, a vida social - jantaradas, lanches e demais saídas entre amigos - onde é quuuuuase impossível não cair nas tentações do demo também é o grande calcanhar de Aquiles. Mas mesmo assim, o que a Rita conseguiu alterar para melhor foi o suficiente para atingir bons resultados e eu já ando mega ansiosa com a próxima consulta que está para breve.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Foi o melhor que se arranjou #265


Eu sei que a Páscoa já vai longe e não tarda é Natal, mas contem-me cá: quem é que comprou roupa nova para estrear no dia de Páscoa, hum? Esta pergunta porquê? Porque o look que hoje partilho, à excepção do cabelo, foi o eleito para o dia de Páscoa e não tem nem uma única peça nova para amostra. O que não sendo nenhum feito extraordinário é caso para perguntar se estou doente.

Em criança, era muito comum os meus pais comprarem-me a chamada "roupa da Páscoa", ou a "roupa do Natal" ou a "roupa de uma-ocasião-especial-qualquer". Não é que não tivesse roupa nova fora de ocasiões especiais, mas não tinha com a mesma facilidade que tenho hoje já que, muito basicamente, se me apetecer comprar alguma coisa compro, senão apetecer não compro. Em criança não era quando eu queria, era quando os meus pais assim o entendiam. Daí achar que antigamente dávamos muito mais valor às coisas, até porque acho que um "não" enquanto crianças é muito importante na nossa formação enquanto pessoas e prepara-nos para o futuro, e diga-se que era uma alegria imensa quando se aproximavam as datas mais especiais porque sabia que ia ter direito a um miminho.

Mas bom, isto para dizer que eu mantive a tradição, religiosamente. Com dois meses de antecedência já sonhava com a "roupa da Páscoa". Chegava o mês da Páscoa, podia até já ter gasto meio ordenado em roupa e afins, que a aproximação do dia era a desculpa perfeita para uma nova ida às compras. Mas este ano foi diferente. Para além de não me ter apetecido comprar nada em especial, também não sentia necessidade disso. Isto dito por uma mulher mais parece anedota - nós estamos sempre prooooontas para bater perna no shops, certo? -, mas assim foi.

Chegado o dia nem pensei muito no assunto. Estava calor, sabia que queria algo fresco e leve, e que não queria vestir ganga. Abri os armários, fiz um check-up muito rápido e em menos de nada cheguei a este coordenado. Preto e branco nunca falha. Estive em vias de escolher os meus stilettos pretos, mas olhei para o lado e lembrei-me que há muito que não usava os meus lindos sapatunfos azuis. E eu adoro looks a preto e branco com um toque de cor assim forte. Para o remate final, o meu choker e as meias de rede. Os tais pormenores que fazem a diferença. Tudo peças antigas, mas senti-me igualmente gira, como se estivesse a usar tudo pela primeira vez.

Conclusão da história? Quantas e quantas vezes nos deixamos levar pelo espírito consumista e, ainda assim, quantas e quantas são as vezes que olhamos para o nosso armário e maldizemos "tanta roupa e nada que vestir"? É importante saber comprar, não comprar só porque sim, só porque é giro, só porque está na moda ou só porque a pessoa X usa, porque muitas vezes não sabemos o que fazer com a peça e fica para canto (muitas vezes ainda com a etiqueta - quem se acusa?) ou usamos uma vez e nunca mais. E...gastar dinheiro em roupa só para usar uma vez? A sério?! Que desperdício. O segredo (que não é segredo nenhum) é comprar racionalmente, saber escolher peças que nos permitem os mais variados coordenados, ter aqueles básicos imprescindíveis e ter uma ou outra peça de destaque. Somos mulheres, crises de armário vão existir sempre, mas se soubermos comprar menos e melhor a carteira agradece e as crises de armário deixam de acontecer "dia-sim-dia-sim" para acontecer "dia-sim-dia-não".

domingo, 28 de maio de 2017

Falta de tempo, má gestão do mesmo ou...

...um estado de espírito? Talvez um pouquinho de tudo. E também uma necessidade de viver mais devagar. Um bem essencial e escasso tal é o stress diário a que estamos sujeitos pelas mais variadas razões. Sempre gostei de viver dias cheios e sentir-me ocupada dos pés à cabeça 24/24 horas. A agitação faz-me sentir útil e viva, para além de achar mais entusiasmante viver os dias a mil.

Mas não somos de ferro e num abrir e fechar de olhos a agitação dá lugar à ansiedade. A ansiedade do tempo não chegar para tanto que se quer fazer. A ansiedade de querer estar em todo o lado. A ansiedade de falhar com o planeado. A ansiedade do perfeccionismo (característica máxima dos virginianos). Ansiedade essa que por sua vez conduz a mais stress. Um ciclo vicioso tão comum que muitas vezes ata pés e mãos e deixa-nos como que à deriva sem saber muito bem para que lado virar, onde se torna fundamental estabelecer prioridades.
E se por um lado não somos de ferro, por outro, somos feitos de sentimentos e nem sempre o nosso psicológico dá a força necessária para estarmos em todas as frentes de corpo e alma, com a alegria e vitalidade que se pretende.

Às vezes gostava de ser duas. Enquanto uma encarregava-se do trabalho e das responsabilidades mais sérias, a outra dedicava-se aos passatempos, às coisas que mais gostamos de fazer, aos pequenos prazeres da vida e às pessoas que nos rodeiam. Uma para a parte séria e outra para a parte divertida da vida. Uma para viver as tristezas e angustias e outra para viver a felicidade. Mas na realidade sou só uma e senti (e sinto) necessidade de abrandar. Porque nem sempre é fácil saber gerir tudo. Porque fases menos boas existem. Porque às vezes sentimos necessidade de estar no nosso canto, de meditar e de dedicar tempo de qualidade a nós mesmas, para depois regressar com mais força. 

Nisto de querer abrandar, tenho tentado aprender a viver com mais calma, com menos ansiedade e tenho organizado os meus dias da forma que acredito ser a melhor para mim. Uma das minhas prioridades é o desporto, como vocês bem sabem. É sem dúvida o meu escape e está longe de se resumir ao "ser fit" . É uma paixão, um desafio pessoal, um estilo de vida, um desfrutar da riqueza que é sentir-me cheia de vida, mas é também aquele momento em que me abstraio de tudo e acaba por ser fundamental para a minha sanidade mental. 

No meio disto tudo, o blog não está esquecido nem me passa pela cabeça desistir dele, muito pelo contrário. Tal como já vos confidenciei: se eu estiver "onfire", o blog também estará; se eu estiver em modo ratazana deprimida é provável que o blog fique assim, neste marasmo, à espera de melhores dias porque prefiro escrever-vos com alegria e entusiasmo do que deixar passar alguma apatia. Porque é mesmo isto.
São vários os comentários e mensagens onde vocês "reclamam" - "e porque agora é só crossfites e cenas assim" dizem vocês -, onde eu tento guardar apenas o lado bom disso. Porque se vocês reclamam a minha ausência é porque gostam de mim de alguma maneira e sentem a minha falta. E isso é bom, não me canso de agradecer o vosso carinho, mas... Tentem compreender-me e tenham um pouquinho de paciência. Eu continuo a ser eu, a "Gata" que vocês conheceram e quero apenas continuar na liberdade de ser quem sou. Mais ausente, menos ausente, com dias bons e dias maus, com fragilidades que tento ultrapassar e sonhos que não deixo de perseguir. E com o presente desejo de viver a vida mais devagar.




segunda-feira, 15 de maio de 2017

OH, MONDAY! #21

E para começar a semana fica um conjuntinho fresquinho, em tons terra e a chamar pelo sol. Adoro macacões e este, apesar de simples, é muito bonito. As sandalocas também podiam vir cá para casa, que eu não me fazia de esquisita. E a mala também, já agora (embora, ultimamente, ande mais inclinada para as malas pucaninas)!

Macacão LANIDOR (aqui) | Mala LANIDOR (aqui) | Sandálias LANIDOR (aqui)

Boa semana!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Relax, it's weekend #24

Pois que parece que as águas mil de Abril apanharam um engarrafamento qualquer e só chegaram agora em Maio e em força. Toda a semana nisto e parece que o fim-de-semana não vai ser diferente. Lá vou eu ter de festejar o "tetra" de guarda-chuva na mão, que sacrifício (só que não :D).

Na sugestão de hoje, partilho um casaco que vi no passado fim-de-semana na Xtreme de Aveiro e que ficou a bater forte cá dentro desde então. É LINDO! Desde o corte, à cor (adoro verde-tropa) e ao pormenor do bordado que também tem nas costas. Resisti-lhe uma vez, não sei se resisto duas. 
A camisola que escolhi para coordenar também tem um detalhe diferente e super giro nas costas. Vejam! =)

Casaco ONLY (aqui) | Camisola ZARA (aqui) | Calças ZARA (aqui) | Mala MANGO (aqui) | Sapatilhas ADIDAS (aqui)


Bom fim-de-semana e...saudações benfiquistas! :D 

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Foi o melhor que se arranjou #264


Tenho dado como desculpa a falta de tempo para justificar a ausência dos últimos tempos, mas não é só isso. Ou não é a razão maior. É verdade que ando sempre de um lado para o outro e dedico grande parte do meu tempo livre ao desporto, mas quando nos sentimos no nosso perfeito estado de espírito não há cansaço que nos vença. Na verdade, não tenho andado muito animada e acabo por não sentir a inspiração necessária para escrever ou partilhar o que quer que seja. Vocês sabem - pelo menos quem me acompanha desde os primórdios- que nunca gostei de partilhar posts só por partilhar, só para picar o ponto, só para manter o número de visitas ou só para dizer "estou aqui, não se vão embora". Sempre gostei de depositar um pouquinho de mim em cada partilha e o que sinto em cada palavra. O meu maior gozo era (é e será) tentar contagiar-vos com a minha boa disposição, fazer-vos sorrir e fazer parte daqueles vossos cinco minutos de descontracção do vosso dia. E, claro, aparvalhar um bocadinho, porque para coisas sérias já basta a vida assim no geral.
Quando me sinto mais down parece que tudo o que escrevo soa sempre a pouco e até mesmo a falso. Porque é o tentar passar alegria nas minhas palavras, quando só me apetece enfiar debaixo dos lençóis e sair lá para 2027. E este é um blog real, escrito por uma pessoa real. Não é um robot. É feito de sentimentos e não de posts agendados ou para cumprir compromissos. E é o reflexo de mim. Se eu estiver "onfire", o blog também estará; se eu estiver em modo ratazana deprimida é provável que o blog fique assim, neste marasmo, à espera de melhores dias porque prefiro escrever-vos com alegria e entusiasmo do que deixar passar alguma apatia.
Sinto que vos devia este pequeno desabafo, porque tenho recebido mensagens de algumas de vocês e o vosso carinho é bom demais para não dar o devido valor. Porque não, os blogs não são só blogs e o bom disto (o mais importante) são os laços que se criam e a cumplicidade que criei com muitas de vocês. OBRIGADA por, apesar dos "apesares", estarem sempre aí desse lado.

Agooooora, pausa na ratazanice aguda para falar de coisas giras tipo o meu look. Sim, vocês bem podem vir com o vosso mau feitio - "ahhhhh e tal que piiiirosa", "ah que mau gosto, nunca desiludes" -, que eu vou continuar a sentir-me a última bolacha do pacote (ah! ah! ah!). Bom, o que eu quero dizer é que ando bastante in love com as tendências desta estação. Parece-me ser a Primavera mais divertida, colorida, romântica e feminina de sempre. Folhos e bordados, há lá coisinha mais fofinha? Duvideodó. Falando em particular dos bordados - a febre do momento -, é um detalhe que adoro não só por ser super feminino, mas também por tornar um look básico num look bem mais interessante. Ele são bordados nos jeans, nas blusas, nos casacos, nas malas e até no calçado. Adoro, acho um máximo, especialmente, nos jeans. Mas é preciso algum cuidado na hora de escolher os nossos jeans bordados. Meninas mais gordinhas ou de anca avantajada devem evitar os bordados na zona da anca, uma vez que irão criar mais volume. De resto, é usar e abusar.


P.S.: e este cenário LINDO? =)) 

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Foi o melhor que se arranjou #263


Se alguma vez imaginei voltar a usar meias de rede? Não, mas também não era daquelas coisas que dizia "nunca", como digo às calças à boca de sino, por exemplo. Essas, por mim, podem morrer asfixiadas no mofo dos arrumos lá de casa. A verdade, é que a moda é cíclica e o que foi e já não era, de um momento para o outro volta a ser tendência. No caso das meias, de rede ou qualquer outra de fantasia, é coisa que me agrada bastante e quem me segue pelas redes sociais sabe disso, porque volta e meia partilho alguns detalhes.

Outra coisa que gosto bastante são as t-shirts (mas há alguém que não goste?!). Ou com mensagens, ou logos ou bonecada, adoro e animam qualquer look. Quando vi esta que vos mostro no look de hoje no site da Shein, o pensamento foi automático "tem de ser minha". Vá-se lá saber porquê. :D

terça-feira, 2 de maio de 2017

WISHLIST | May please be good

Desde Fevereiro que não partilho por aqui uma wishlist, por isso, hoje parece-me um bom dia para o fazer. Nunca se sabe quando poderá estar aí desse lado uma alma gentil com vontade de fazer alguém feliz (ah! ah! ah!).


1- Casaco Adidas (aqui): sonho com ele desde o primeiro dia em que o vi. Não sei se é das bolas ou das bolas, mas acho-o lindo e fofinho que só ele e preciso muito, muito, muito dele.

2- Saia bordada Salsa (aqui): até a pessoa mais distraída já deve ter dado conta que os bordados são um dos detalhes sensação da estação. Gosto de tudo o que é aplicações, desde que não seja em exagero, e depois de ter comprado uns jeans bordados na Zara é a vez de andar de olho nas saias de ganga. Esta parece-me muito bem (menos o preço).

3- Paleta Natural Love da Too Faced (aqui): para quem gosta de maquilhagem paletas nunca são demais. Já podemos ter 10, 20, 30 e depois de comprar a 31ª até podemos pensar que "agora sim, não há cor que falte, não preciso de mais nenhuma, não quero saber mais de paletas", que basta sair uma nova paleta para sentirmos logo necessidades e pensarmos "opa, afinal não, afinal não tenho aquelas cores e preciso assim muito, muito, muito". Cenas de gaja. Esta paleta mais recente da Too Faced é só a coisinha mailinda e identifico-me bastante com os tons, portantos...a menina quer muito. :D

4- Sapatilhas Nike Metcon (aqui): desde que percebi que as sapatilhas próprias para a prática de Crossfit fazem mesmo a diferença que ando de olho nelas. Entre as Nano e as Metcon ando mais inclinada para as Metcon (Nike team, yeeaaahhh). Numa ida ao Carregado encontrei umas Metcon 2 super giras e a metade do preço (mais giro ainda) e só não as trouxe comigo por meio número. Sim, porque calço o 39 e só tinham 38,5. Migas, fiquei DOENTE!!!

segunda-feira, 1 de maio de 2017

OH, MONDAY! #20

Qual é a rubrica qual é ela, que tínhamos à segunda-feira e era muito bela?
(a parte do "bela" foi só para rimar, hã.)
Isso mesmo, "OH, MONDAY!" para começarmos a semana bem inspiradas e a lavar as vistinhas com coisas giras. 
Estamos no primeiro de Maio (JÁÁÁ?!), Dia do Trabalhador, e é feriado, pelo que me parece um bom dia para criar conteúdos aqui para o estaminé.

Comecemos, então, pela habitual sugestão de segunda-feira, e começo por dizer que este vestido-blazer deve assentar que é uma maravilha. Ainda não o vi ao vivo e a cores, mas tenho bastante curiosidade em experimentá-lo.

A ideia para as sugestões de segunda-feira é a de serem mais formais, mas não resisti e combinei este vestido com umas sapatilhas. Como já sabem, adoro quebrar o chique com o descontraído, mas um salto alto neste vestido fica, naturalmente, TOP.

Queria mesmo partilhar com vocês este vestido, porque a saga dos casamentos/baptizados/comunhões está para começar (se é que já não começou para vocês) e acho este modelo bastante interessante para uma dessas ocasiões. Mas claaaaaaaaro, sem sapatilhas e sem um "malão" grande. Fica a dica. =)
Vestido ZARA (aqui) | Mala LANIDOR (aqui) | Sapatilhas SALSA (aqui)


Boa semana!
(preparadas psicologicamente para semanas, semanas e mais semanas sem feriados e pontes? Eu também não, snif, snif.)

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Cinco dias da semana, cinco looks #21

Última semana de Abril e chuva mil ZERO. Atenção que não é uma reclamação é só uma constatação, não me lembro de um mês de Abril assim, tão cheio de sol. As noticias bem que alertaram para chuva e descida de temperatura a partir de quarta-feira, mas até ver...está tranquilo, está favorável. Tão favorável que até temos mais um fim-de-semana prolongado à vista. Depois de tantos feriados e pontes num só mês, cheira-me que ficámos todos mal habituados e não vai ser fácil encarar uma semana inteira de trabalho. Ninguém quer avançar com uma petição pública do tipo "queremos feriados e pontes todas as semanas"? :D


Antes que perguntem, este camiseiro lindo é da Shein e podem vê-lo mais ao pormenor aqui.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Foi o melhor que se arranjou #262


Vocês sabem que a par com as riscas, o padrão às bolinhas é dos meus preferidos. Também sabem que as sapatilhas estão para mim como a banana está para o macaco. E também sabem que sempre adorei misturar, de quebrar o descontraído com uma peça mais "pipi" ou vice-versa. O look que hoje partilho é exemplo disto tudo, com o toque especial da bandana. Já sabemos que os acessórios são peça fundamental nos nossos armários, uma vez que são perfeitos para dar um "up" ao nosso look final, e muitas vezes acabam por ser mesmo a cereja no topo do bolo.

terça-feira, 25 de abril de 2017

A liberdade de sermos o que queremos ser

Hoje apetece-me falar de liberdade. Parece demasiado óbvio face a data, mas não, não venho falar da Revolução dos Cravos. Venho falar da nossa liberdade. Ok, falar dos cravos é falar da nossa liberdade, mas...esqueçam os cravos (não menosprezando) e foquem-se em vocês. Em vocês e na vossa (nossa) liberdade de ser o que querem(os) ser. Está nas nossas mãos. E ser ou não ser capaz é uma questão de atitude. Como tudo na vida. Porque a única coisa que cai do céu é a chuva, e o resto, o resto é determinação. Ajuda muito acreditar até porque é o primeiro passo para algo ser realizado. Por isso, confia e acredita sempre em ti. Independentemente do quão difícil possa ser uma batalha, mantém estes dois verbos bem presentes: confiar e acreditar. E não esquecer que tudo é impossível até acontecer.

Há um ano atrás eu acreditei que era capaz de correr uma Meia Maratona, quando muitos diziam que eu estava para lá de tolinha. Eu própria duvidava de mim no inicio, mas a vontade de superar-me, o desafio e a força de querer falaram bem mais alto. Mesmo com alguns obstáculos, eu consegui. E o sentimento foi tão bom, tão "não-há-palavras", que hoje tenho o meu dorsal emoldurado. Quando me sinto menos confiante olho para ele e penso "se foste capaz de correr 21 kms quando há meses atrás não conseguias correr 5 kms sem ficar à beira de falecer, és capaz de TUDO". Porque nós somos realmente capazes de tudo. Temos a liberdade de ser.


O "ser capaz" tem um efeito mesmo incrível em nós. Deixa-nos felizes e orgulhosas. Mostra que depois do esforço, de alguma luta interior e até mesmo de alguns fracassos pelo meio, há no fim uma satisfação imensa que compensa sempre. Recompensa essa que deixa-nos mais fortes enquanto pessoas. O "ser capaz" ensina-nos a nunca deixarmo-nos render, a ter consciência que as coisas levam o seu tempo e que desistir não é opção. Porque nunca é. E somos nós que temos a liberdade de desistir ou não desistir.

Isto vale para tudo, seja uma prova, seja perder uns quilos a mais, seja terminar o curso, seja passar naquele exame importantíssimo, seja qual for o nosso objectivo, seja qual for o nosso desejo que nos fará sentir melhor, nós temos a liberdade de lutar por isso. Parte sempre de nós. Por isso, sejam livres de ser o que querem ser. Sejam livres para ir à luta e nunca desistam dos vossos sonhos.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Relax, it's weekend #23

Bom diaaaa, bom diaaaa! E quem é que está de fim-de-semana prolongado, quem é? Euuuuu! :D 
E só porque estou bem disposta, sai um look para vossa inspiração. Não sei se já vos disse claro que já, mas a Zara está uma verdadeira TEN-TA-ÇÃO. A sério, quase que se me dá um ataque de ansiedade sempre que abro o site para passar os olhos. Não se admirem se nas sugestões dos próximos tempos apenas constarem peças de lá. E aqui que ninguém nos ouve, no que toca a lojas "fast fashion" a Zara é a boss delas todas.
No menu de hoje, sai um look mais divertido, porque estes dias de sol pedem mesmo isso. Bordados, riscas, aplicações, um mix and match que na minha opinião resultou muito bem. E por falar em bordados, já repararam na QUANTIDADE de peças que existem nas lojas dentro desse género? É "A" tendência (umas das, vá).  

T-shirt ZARA (aqui) | Jeans ZARA (aqui) | Mala ZARA (aqui) | Sapatilhas ZARA (aqui)


Bom fim-de-semana, boa Páscoa, enfardem folares, amêndoas e coelhos de chocolate à vontade que isto da Páscoa é só uma vez por ano (já essas iguarias todas são capazes de durar até ao Natal. Nas vossas ancas, rabo, barriga e afins. Wuuaaahhh).

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Skyr: o fenómeno do mundo lácteo


Antes de mais e só para que se conste, quem nunca ouviu falar deste iogurte é porque anda no mundo só por ver andar os outros. Anda um corre-corre diabólico atrás destas 150g de iogurte, quais Louboutin ao preço da chuva, que é impossível passar ao lado deste fenómeno do mundo lácteo.

Mas o que de tão fenomenal e de tão fantabulástico tem o raio do iogurte para estar sempre esgotado e para vermos pessoas a levar paletes deles para casa (quando os há)?

Assim, de forma muito simples e directa, para além do excelente marketing, apresenta dois factores sobejamente desejados pela "malta do fitness": rico em proteínas e bastante baixo em gordura. Conclusão: é um bom aliado para quem procura estar em forma.

Além disso, o Skyr - produto lácteo islandês produzido com leite pasteurizado magro - é uma excelente fonte de cálcio, sendo produzido com 3 ou 4 vezes mais de leite do que um iogurte normal.
Mas os benefícios não ficam por aqui. A saber:
- Estimula o sistema imunitário;
- Promove o aumento da absorção de cálcio, vitaminas e sais minerais;
- Melhora o transito intestinal;
- Pode ajudar a diminuir o risco de osteoporose (devido ao elevado teor de cálcio) bem como os níveis de colesterol.

Apesar dos benefícios deste iogurte - já confirmados por nutricionistas -, existe alguma controvérsia em torno do tema: será ou não será tão benéfico assim? Valerá ou não valerá a pena a correria para o Lidl? Não passará tudo de marketing? Moda fitness?! Ah, porque o iogurte não é tão fantástico assim. Ah, porque não é o facto de ter umas gramas a mais de proteína que vai fazer dele o melhor iogurte do mundo e arredores. Ah, porque não é um iogurte, é um queijo. Ah, e porque a malta já abusa na quantidade de proteína que come, como tal, não precisa do Skyr para nada. Bom senso, é uma questão de bom senso, como em tudo nesta vida.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Foi o melhor que se arranjou #261


Não me lembro de um mês de Abril assim tão soalheiro. Por norma, faz jus ao ditado "Abril águas mil". Até mesmo a Páscoa costuma ser sempre de chuva. Calma, PÁSCOA? Como é que já estamos na Páscoa?! Isto não está a passar depressa demais? Páscoa, e não tarda é Verão, e não tarda é o Agitágueda, e não tarda são as férias de Verão, e não tarda entro nos trinta, e não tarda é Outono, e não tarda é Natal, e... ME-DO. Alguém esqueceu-se de me dizer que a partir dos 25 o tempo não passa, o tempo foge.
Bom, voltemos a falar de coisas giras: os dias de sol. Não sei se estas temperaturas de Verão vieram para ficar, mas o primeiro dia de praia já ninguém me tira. Fazer praia em pleno mês de Abril é algo inédito nos meus vinte e nove anos de vida (tão inédito que as minhas unhas dos pés nem estavam preparadas para ver a luz do sol). E que bem que soube! A vitamina D faz-nos bem. Deixa-nos mais alegres, mais bem dispostos e com mais energia. Avinha-se um fim-de-semana prolongado e espero que seja produtivo. Que dê para descansar e recarregar baterias, e também para pôr aqui o estaminé com os assuntos em dia. Vocês reclamam e eu também tenho saudades. Até já 

terça-feira, 11 de abril de 2017

#nãotens7vidas #2: os treinos


Já passou quase um mês desde a primeira consulta de nutrição da Rita (amanhã temos a segunda) e, nos entretantos, os treinos com o PT Bruno Gonçalves também já estão a decorrer. Foi feita avaliação física e o plano traçado foi o seguinte: treino em grupo com uma componente mais metabólica e treino mais especifico e individualizado de forma a melhorar postura e tirar o máximo de rendimento no trabalho metabólico.

A par disso, a Rita continua a frequentar o seu ginásio como habitualmente - faz parte daqueles que conseguem acordar com as galinhas e ir ao ginásio às 7h da matina (palminhas, muitas palminhas) - e costuma vir treinar comigo na box de Crossfit uma vez por semana (ontem falhou-me, mas os burpees estão garantidos, ah! ah! ah!). Digamos que arrastei-a comigo uma vez e acabou por apanhar-lhe o gosto. Só falta experimentar o treino de bootcamp, mas está para breve.

Ter ganho este passatempo foi, sem duvida, um boost de motivação e a Rita tem andado super focada no seu objectivo. E feliz também, que é o mais importante. Estamos super ansiosas pelos resultados da próxima consulta de nutrição e eu tenho a certeza que serão positivos e serão mais uma fonte de motivação. A Rita tem noção que apesar de já ter conseguido incutir alguns dos bons hábitos alimentares, ainda precisa de ser mais disciplinada, no entanto, já sente diferenças ao nível da zona abdominal e das pernocas. Amanhã já vamos ver o que a balança nos diz sobre este primeiro mês de "#nãotens7vidas".

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Relax, it's weekend! #22

Vamos voltar aos bons costumes e às sugestões de fim-de-semana tal como era hábito? Caso contrário, não há livro de reclamações que resista e um dia destes ainda pedem insolvência aqui do estaminé e não queremos nada disso, pois não?

Bom, mal bati de frente com este body decidi logo que iria conjugá-lo na sugestão de hoje. Vocês bem sabem que adoro bolinhas e este body está super, super fofo. O padrão por si só faz a festa toda, mas aquele drapeado dá-lhe ainda mais graça. Agora, um conselho de amiga: mantenham-se afastadas da Zara como se de uma epidemia se tratasse e não caiam na tentação de digitar www.zara.pt. Ou isso, ou, minhas amigas, desgraça orçamental na certa. Tantas, mas tantas peças giras!! A sério, dá vontade de comprar tudo.
Quanto às restantes peças, é fazer o favor de entregar na morada do costume.


Body ZARA (aqui) | Jeans ZARA (aqui) | Mala CaféNoir (aqui) | Sapatilhas Replay (aqui)


Bom fim-de-semana de sol.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Crossfit e um dicionário para totós se faz favor

Crossfit AGD

A minha forte apetência para a actividade física já não é novidade para vocês. Treinar para mim não é obrigação, muito menos moda. É prazer, é diversão, é paixão, é superação, é o meu anti-stress, é o meu momento de relaxe (mas alguém relaxa a levar "porrada" no lombo?! :D). É um estilo de vida.

Também já deram conta que estreei-me recentemente numa nova modalidade: o Crossfit. Estava meeeeeesmo a precisar de algo novo, algo que exigisse mais de mim, que fosse mais estimulante e motivador. Há muito que o meu corpo e mente acusava rotina e isso é tudo menos bom.

Depois de quase dois meses a "crossfitar" o balanço é bastante positivo. Posso dizer que ganhei um novo vicio e uma nova paixão. Já para não falar do boost de energia. O corpo estava mesmo a precisar de sair da rotina e a prova disso foi a sua reacção imediata a este estimulo diferente. Em menos de um mês perdi 2% de massa gorda (partilhei aqui o meu estado de euforia). Além disso, vejo a minha performance a melhorar de dia para dia o que torna tudo ainda mais motivante. Modalidades há muitas, mas no que toca a optimizar a performance e composição corporal, o Crossfit é das mais eficientes.

Uma das características desta modalidade é precisamente promover a melhoria da condição física e, por consequência, obter resultados expressivos na redução da gordura corporal e aumento da massa muscular.

O Crossfit é um programa de força e de condicionamento físico com movimentos funcionais, variados e executados em alta intensidade, logo, explora todas as capacidades físicas, preparando a pessoa para qualquer tarefa. O treino associa exercícios de ginástica, levantamento de peso e de atletismo, sendo um tipo de treino baseado na alta intensidade e no consequente aumento do desempenho nos exercícios de velocidade, agilidade, força e flexibilidade. É, por isso, um treino muito completo, dinâmico e acima de tudo muito motivante. E as vantagens são mais que muitas, a saber:

* Definição e fortalecimento corporal;
* Queima gordura não só durante, mas também após o treino (o chamado metabolismo basal);
* Aumento da força e condicionamento físico;
* Melhoria da flexibilidade e coordenação motora;
* Melhoria do funcionamento do sistema cardiovascular e cardiorespiratório;
* Aumento da resistência e ganho de massa muscular;
* Aumento de energia, auto-estima e auto-confiança bem como redução do stress (no fundo, esta vantagem está associada a qualquer actividade física).

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Perdida de amores #41

Replay 89€
Podemos ser felizes juntas esta Primavera?

terça-feira, 4 de abril de 2017

Juntos Para Sempre


Ontem, tive oportunidade de assistir à antestreia do filme "Juntos Para Sempre", que teve lugar no cinema NOS do Norteshopping.

Um dos programas que mais gosto de fazer é, sem dúvida, ir ao cinema, mas nunca me aconteceu fazê-lo a uma segunda-feira. Gosto de começar a semana a treinar, mas começá-la a "cinemar" também não é nada mau pensado, até para quebrar a rotina. Bom, tirando a parte das pipocas que neste momento andam por aqui a sassaricar enquanto não se decidem pelo melhor sitio para viver, tipo no rabo, nas pernas ou no meu pseudo-futuro-e-duvidoso-six-pack (mas logo já lhes conto uma história, wuuaaahhh). A minha conta bancária também preferia que tivesse ido treinar, diz que teria ficado bem mais barato. Digamos que encontrei as sapatilhas de corrida que andava à procura e que até estavam com promoção (20% em cartão) e, bom, o resto da história já vocês imaginam. Era uma necessidade já que as minhas Pegasus azuis lindonas estão com algum desgaste o que, ultimamente, provocava-me algum desconforto durante a corrida (nomeadamente, canelites). Nisto, as sapatilhas de crossfit ficaram para segundo plano até porque o grau de necessidade não é assim tãoooo grande (mas mais mês menos mês lá terá que ser).
Ora, investimento do mês feito significa não-há-mais-nada-para-ninguém-até-ao-inicio-do-próximo e eu gostava muito de me ter lembrado disso antes de entrar na loja da Adidas e da Nike. É pecado sair de lá de mãos a abanar. Ver tanta coisa gira e ficar ali, completamente maravilhada, a augar por todos os lados para depois virar costas e sair com aqueles olhinhos de cachorro abandonado. Pobreza, senhores, que porbreza (snif, snif). 
Mas vá, não vamos dispersar mais (é no que dá não trocar uns dedos de conversa com vocês há bastante tempo) e vamos falar do filme, mas nãoooo, não vou dar uma de spoiler.

"Juntos Para Sempre" é daqueles filmes para toda a família. É para quem adora cães e para quem os trata com o devido respeito, mas também devia chegar a quem os maltrata e é capaz de deixá-los ao abandono, talvez apelasse ao coração.
Admito que há uma ou duas passagens que possam sensibilizar mais por também dar a mostrar a triste realidade dos animais, mas, no geral, é um filme muito bonito e tanto desperta para a gargalhada como nos deixa ali de lágrimas nos olhos de emoção. O final é muito comovente, daqueles para sacar dos lenços da carteira e para nos deixar a pensar. Ficou-me na mente uma frase: "a vida é um mistério". Parece cliché e à primeira vista a frase não diz nada demais. Mas para mim a frase diz tanto de tão pouco que diz. Talvez seja pelo momento em que é dita e pelo desenrolar da história em si que a torna mais significante. Afinal, quantas e quantas são as vezes que questionamos o nosso propósito ou o propósito de algumas situações com que nos deparamos ao longo da nossa vida?

O filme estreia na próxima quinta-feira (dia 6). É um emocionante tributo ao melhor amigo do homem e acho que vale bem o valor do bilhete (e das pipocas). 


P.S.: gostava muito de ver o filme "A Bela e o Monstro" e o "100 metros". Algum de vocês aí já viu? Gostaram? Vale a pena emborcar mais quilo e meio de pipocas?


quinta-feira, 30 de março de 2017

Sobre o Aeroporto Cristiano Ronaldo


Mas que bela bosta. Ai, não, busto, que belo busto.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Foi o melhor que se arranjou #260


Março quuuuase a chegar ao fim e este é o 14º post do mês. Esbofeteiem-me à vontade que eu deixo. Ando mesmo a pedi-las. Um dia destes vocês batem com a porta e viram-me as costas para todo o sempre (snif, snif). Já vos confidenciei que não tenho sentido energia suficiente para conciliar duas coisas que gosto muito (desporto e bloggar) e que pedem tempo, mas espero dar a volta à "coisa", até porque tenho saudades de partilhar as mais variadas coisas com vocês diariamente (e aparvalhar um bocadinho também, ahahah :D). Esperemos que o mês de Abril não traga chuva, mas sim, posts mil. =))
Para sacudir as teias de aranha que aqui o estaminé começa a ganhar, fica um look que foi um verdadeiro forrobodó fotografar tal era a ventania. Acho que até se nota que tenho a cara arrepiada (ah! ah! ah!). Mas, minhas amigas, praia da Barra sem vento nem é praia da Barra.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Cinco dias da semana, cinco looks #20

Da semana que marca o inicio da Primavera ou o recomeço do Inverno. Dúvidas.


quarta-feira, 22 de março de 2017

Foi o melhor que se arranjou #259


E de repente é Primavera. Embora os dias cinzentos, o frio e a chuva tenham regressado, já estamos na bonita e mais colorida estação do ano. Ainda não é o adeus definitivo ao Inverno, parece-me, mas mal posso esperar pelos dias, e dias, e dias a fio de sol. Precisamos de vitamina D. Faz bem ao corpo e alma. O sol deixa-nos mais bem dispostos, mais leves e de sorriso fácil nos lábios. Rejuvenesce.

O primeiro trimestre do ano está praticamente passado e é incrível como não dá para fugir da lenga-lenga de sempre: como o tempo passa TÃO depressa. Demasiado depressa. O pior é que não chega para tanto que queremos realizar. O pior do pior é sentir que será sempre assim. Olho para trás e vejo tarefas por cumprir, planos idealizados por pôr em prática, ideias que continuam a marinar e um blog a meio gás. Pode ser só uma fase, mas não tenho sentido energia suficiente para estar de corpo e alma em tudo o que pretendo. Vamos esperar que o segundo trimestre do ano traga a lufada de ar fresco que estou a precisar.

Quanto ao look que hoje partilho, o mood é um dos meus preferidos: sport chic. Calças estilo jogging e salto alto é daqueles contrastes que sempre gostei imenso. E este bomber - com o pormenor do "B" que desde logo me chamou a atenção (vá-se lá saber porquê :D) - encaixou super bem na vibe do look. Pelas redes sociais (que essas, pelo menos, vão estando sempre bem activas) vocês já devem saber que ando doida com as meias, seja de rede, seja com bolinhas, seja com estrelas, seja com bonecada, eu adoro esta tendência. Já pensei em deixar de seguir o Instagram da Calzedonia antes que comece a usar meias nas orelhas (ah! ah! ah!). Não sei se faz as delicias de todas, mas eu acho que é um pequeno detalhe que pode dar um toque muito bonito ao nosso look.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Cinco dias da semana, cinco looks #19

Agora, a preparar o post, é que dou conta que esta semana parece ter sido a semana das riscas. Nota-se muito que é o meu padrão preferido (logo a seguir às bolinhas)? :D 


quarta-feira, 15 de março de 2017

#nãotens7vidas #1: Primeira consulta de nutrição

Quando lançámos o passatempo, tinha noção que grande parte das participações seriam da zona de Aveiro/Águeda. Ainda assim, tivemos participantes tanto do Porto como de Lisboa, mas a vencedora acabou por ser mesmo aqui da zona e uma pessoa que já conhecia. Confesso que fiquei bastante feliz quando vi o nome seleccionado, por saber que poderia acompanhar tudo de perto e ao pormenor. 

Quando abordei a Rita a reacção foi mais ou menos do tipo "o quê?!! Mas eu nunca ganho nada!!", pois é, há sempre uma primeira vez e quem não arrisca não petisca.

Entretanto, já pusemos mãos à obra e a primeira consulta de nutrição foi no passado dia 8 de Março, na clínica Tempo e Palavras em Águeda. Até parece coisa propositada, mas foi uma feliz coincidência ter calhado no Dia Internacional da Mulher. Não que sejam precisas datas especiais, até porque todo o dia é dia, mas de facto o Dia da Mulher é sempre uma boa oportunidade com aquela dose extra de força para dar "O" passo, registar uma mudança há muito desejada, virar a página ou dar inicio a uma espécie de nova vida, nova vida essa que nos deixe mais feliz.


Fazendo um breve resumé do histórico da Rita relativamente ao seu peso, podemos dizer que nunca foi uma pessoa magra nem é um daqueles casos de que era "assim-assim" e começou a engordar, engordar, engordar. A Rita sempre teve um pouco de peso a mais e na adolescência chegou mesmo a pesar mais de 70 quilos. Segundo ela, comia imenso porque nunca estava satisfeita e não praticava exercício físico para além das aulas de Educação Física. Com o avançar da idade, começou a preocupar-se com o seu corpo e a dar mais importância à questão do peso saudável, isto, por volta dos 19/20 anos. Hoje, a Rita tem 28 anos e por si própria, apenas, e, claro, com toda a sua força de vontade conseguiu perder 10 quilos até aqui. Chegou mesmo a ficar abaixo dos 60 quilos, mas bastou um desleixo no ginásio para o ponteiro da balança voltar a subir

segunda-feira, 13 de março de 2017

Foi o melhor que se arranjou #258


Há muito que não tinha uma semana tão agitada. Em sete dias descansei dois. Sábado teve direito a dose dupla. O bootcamp, que quando posso não dispenso por nada, e não resisti, também, a um WOD no final do dia. Nem o domingo, por norma dia de descanso, escapou a este vicio bom que é praticar desporto e teve direito a corrida, desta feita, de modo a celebrar o Dia Internacional da Mulher. Sinceramente, pensei que fosse acordar sem energia, mas não, estava cheia de vontade de calçar as sapatilhas. O percurso não era longo (mais ou menos 8 kms), mas teve bastantes subidas e os treinos exigentes do dia anterior começaram a pesar nas pernas. Mas fez-se e cheguei ao fim super feliz e com aquele típico sentimento de satisfação e ainda deu para zumbar um bocadinho. Escusado será dizer que mal sentei-me no carro o cansaço baixou em mim e mais parecia ter levado porrada no corpo (ah! ah! ah!). Nada que um resto de domingo de preguiça não resolvesse.

O calor abrasador já lá vai, mas os bonitos dias de sol parecem ter ficado e ainda bem, porque as roupas levezinhas começam a chamar por mim. E as saudades que eu tinha deste meu blazer branquinho? Comprei-o no ano passado, mas voltou na colecção deste ano. Desta vez, também há em preto e digamos que estou aqui muito tentada em fazer-me a ele. Adoro-o por ser um modelo mais solto e descontraído, e, também, pelo franzido das mangas. Vai bem com saltos, vai bem com sapatilhas, vai bem com tudo. Eu cá não sou de intrigas, mas se fosse a vocês corria já para o site da Zara (ihihihih).

sexta-feira, 10 de março de 2017

Cinco dias da semana, cinco looks #19

Três semanas consecutivas a cumprir com esta rubrica é de louvar (vamos ver se não deixo a lambreta ir abaixo, ah! ah! ah!).

A semana começou com chuva, ainda com algum frio, e a coisa foi aquecendo, aquecendo até chegarmos ao bafo de ontem e hoje parece que não vai ser diferente. Acordar com o sol a brilhar de manhã cedo parece que dá logo outra energia, mas também não era preciso vir com este calô todo, né?

Já tinha saudades das peças mais leves, de andar só de blusa ou de mangas dobradas e tinha muitas, muitas saudades do meu blazer branquinho. E agora a pergunta é: será que já podemos pôr de parte as malhas e os casacos quentinhos?


quinta-feira, 9 de março de 2017

Pudim de Chia


Por vezes, nisto de ser saudável, é mais complicado conseguir variar nas refeições do que resistir aos chocolates, batatas fritas, pizzas e outros que tais. E digamos que é um tédio andar sempre a comer o mesmo pequeno-almoço, os mesmos lanches e as mesmas refeições.

Com umas pesquisas aqui, dicas dali e sempre com a ajuda e aconselhamento da Maria, ultimamente, tenho testado algumas receitas, essencialmente para o pequeno-almoço e snacks. Umas correm mal, outras precisam só de uns ajustes e outras saem perfeitas. E hoje tenho mesmo, mas meeeesmo de vos falar do pudim de chia.

Quando partilhei a minha primeira receita de papas de aveia (aqui), falei-vos da importância das sementes, de como são benéficas para a nossa saúde, nomeadamente, a chia (mas há mais). A chia é conhecida por desintoxicar, é rica em fibras, cálcios, proteínas e ácidos gordos ómega 3, contribuindo para o bom funcionamento dos intestinos. Se a chia tem tantos benefícios, o pudim de chia só pode ser TUDO DE BOM.

E é. É uma receita saudável (rica em fibra, não tem açúcar nem gorduras más), nutritiva e super fácil de fazer. É perfeito para quando estamos com desejos de algo doce e prestes a pecar (não é a mesma coisa que comer umas natas do céu, óóóóbvio, mas engana bem o estômago). Também é óptimo para quem treina de manhã, porque é leve e rápido de consumir (e nem perdem tempo a preparar, porque fica feito do dia anterior). Querem melhor?

A receita é super simples, podemos variar os ingredientes, especialmente, os toppings, e o ideal é deixar no frigorífico de um dia para o outro e juntar o topping no momento de comer. Da minha experiência, posso dizer que aguenta bem no frigorífico durante 5 dias (perde alguma consistência, mas o sabor mantém-se), pelo que podem preparar os vossos pudins de chia durante o fim-de-semana para não perderem tempo durante a semana (que já sabemos que andamos sempre a mil).
Experimentem e depois digam-me se está aprovado.

Ingredientes (2 taças):

- 150ml de leite de amêndoa;
- 200g de iogurte magro;
- 2 colheres de sopa rasas de chia;
- Stevia (opcional, eu não usei e ficou igualmente bom);
- Topping: papaia e avelã triturada.

Preparação: Misturar todos os ingredientes numa tigela bem misturados, esperar uns cinco minutos só para deixar engrossar e depois é só dividir pelas taças e colocar no frigorífico. Na hora de comer, juntar o topping.


Atenção: não abusar nas quantidades de chia. São benéficas, mas também têm gordura, por isso, atenção às colheres rasas e não cheias! :D


NÃO AGUENTO!!!

Snapchat: @gatasaltosaltos
Uma pequena pausa antes do xixi-cama só para dizer que aqui a vossa amiga do peito, depois de ver a sua massa gorda de estimação sempre a subir desde o Natal - sim, eu partilhei a consulta de Janeiro que dava conta de uma subida de 1,5% (19,8% para 21,5%), mas nem cheguei a partilhar a consulta de Fevereiro (tal foi o tédio!!) que registou a subida de mais 1% (ou seja, de 21,5% para 22,3%) -, consegue a proeza de em menos de um mês (a última consulta foi a 18/2) baixar 2% de massa gorda!! Dois, gente, dooiiiiiis!! Tipooooo, DOIS!! Não foi um, mas sim DOIS!! E eu estou aqui que não me aguento de tanta excitação. Oh yeeeaaaaaaaaaahhhh!! :D :D
Bom, parece que estava mesmo a precisar de mudar o tipo de treino e apesar de não ter um mês de crossfit, os resultados já estão à vista. Confirma-se, o corpo cai mesmo em rotina e volta e meia precisa de um "abanão" para acordar para a vida.
Hoje não era o dia da minha consulta, mas aproveitei a consulta da Rita (que mais tarde vou partilhar aqui) para ver como é que estava de massas. Vamos ver se até dia 22 (data da consulta) derreto mais 1 ou 2% de banha.
Inté.