#

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Os meus primeiros 21 kms

Eu, nervosa/ansiosa, mas feliz da vida antes de arrancar.

Faz hoje uma semana que eu estava nas minhas sete quintas. O meu corpo pesava toneladas, mas a minha alma estava leve como uma pena. Sentia-me parva de tão feliz. Para quem está de fora e liga zero às corridas, imagino que pense qualquer coisa como "esta gaja deve estar é parva de todo, mas que merda de importância tem uma corridinha, até parece que é única a conseguir esse tremendo feito desportivo, fica feliz com muito pouco, esta pobre rapariga". Neste sentido, convém salientar que este post é para quem me entende. Para quem já viveu e/ou vive a mesma experiência. Para quem vê a grandeza nas pequenas coisas da vida e para quem vê a felicidade na superação e nas mais simples conquistas pessoais.

Centro de Congressos, local da partida/chegada.

Ora bem, recuando no tempo posso dizer que mal acordei comecei com os nervos. Mentira. Deitei-me no dia anterior já com os nervos. Bem, se é para sermos sinceras, acho que andei a semana inteira em nervos pegados. Era a primeira prova (e logo 21 kms!!), era complemente principiante, não tinha treinado o que devia, nos treinos nunca fui além dos 15 kms, tinha medo que me empurrassem, tinha medo de não conseguir chegar ao fim, tinha medo que o ligamento do tornozelo ressentisse, estava aflita com o calor que ia estar e com a possibilidade de vento. Bem, estava numa PILHA!! Era todo um mundo novo para mim e acho que não me sentia assim tão nervosa desde os exames nacionais ou até mesmo desde os espectáculos de ballet. É que nem no dia do casamento estava assim (se calhar fez-me falta um victan).

Os meus companheiros de treino.

No entanto, apesar dos nervos e do calor terrível mesmo a puxar ao desmaio, sentia-me a correr como nunca senti. Sempre que dava conta do ritmo a que ia (5:20), abrandava com receio de cansar-me mais cedo, mas quando voltava a ver já ia eu toda lançada de novo. Não sei se era pelo ambiente em si, se por estar a correr juntamente com nnnn pessoas, se pelo percurso, se por ter conseguido estar ali apesar da lesão a meio dos treinos (embora tenha roubado muiiiita preparação), se pelo apoio, se pelo próprio desafio em si, mas sentia-me com força para dar e vender. Fiz os meus 10 kms mais rápidos (abaixo de 1h) e começava a acreditar que era bem capaz de despachar a prova em duas horas. Mal sabia eu que o pior estava para vir, infelizmente.


Quuuuuase na hora da partida.

Sempre li que não devíamos alterar o nosso pequeno-almoço e que devíamos comer o habitual. No entanto, depois de ler o "Correr Lisboa", resolvi seguir a sugestão de tomar um batido de frutas com meio scoop de whey logo ao acordar e passados trinta minutos o restante (uma fatia e meia de pão de centeio com doce de chuchu, uma banana e um scoop de whey). Não alterava muito a minha rotina, pelo que não vi qualquer problema. Mas o problema foi a escolha das frutas: kiwi, laranja e uma banana madura, qual laxante. Pois que este batidozinho (do demo) juntamente com o calor e a minha ansiedade mexeu com o meu organismo, se é que m'entendem!! A partir do quilometro dez começou a tortura, cólicas e mais cólicas, sinto suores frios só de lembrar. Foi horrível, repito, h-o-r-r-í-v-e-l, e não desejo ao meu pior inimigo. Comecei a ficar triste porque estava muito bem encaminhada, sentia-me com pernas e pulmão para dar e vender e puufffff, tinha de acontecer alguma merdinha. Meus senhores, eu não acredito em bruxas, mas que as há, há e isto pareceu mesmo praga, caredo. Bem, conclusão? Os meus últimos dez quilómetros torturantes quebraram o ritmo por completo e vi-me mesmo obrigada a parar duas vezes (dispenso-vos dos pormenores), daí a diferença do tempo do chip e do meu relógio. O chip (tempo oficial, digamos assim) marcou 2h40 e o meu relógio 2h23, isto, porque das duas vezes que parei também parei o relógio. Se não estava a correr, nem a caminhar, se parei porque fui mesmo obrigada (dispenso-vos de pormenores, novamente), não me pareceu "justo" ver o tempo a contar quando sentia-me completamente fora de prova. 

A chegar aos 10 kms (e sem cólicas!!).

Todo o mau-estar que tive de suportar, quando podia ter atirado a toalha ao chão e desistido, só tornou o cortar da meta ainda mais saboroso e especial a nível pessoal.
Nunca fui numa de fazer grandes tempos (o tempo de preparação não permitia sequer pensar nisso), fui para me divertir e para me superar, essencialmente. O objectivo único era cortar a meta, de preferência antes das três horas (tempo permitido pela organização), e não ser a última da carruagem. Consegui. Em 1300 inscritos, foram muitas as desistências (500 mais ou menos) e eu não fiz parte delas, mesmo com motivo suficiente para isso. E mesmo que chegasse em último lugar, ainda assim ficaria à frente daqueles que nunca se atreveram a corrê-la. Eu atrevi-me, apesar de alguns comentários mais desencorajadores aqui pelo blog e apesar da lesão que quase deitou por terra este meu objectivo. Sabia que era capaz e a vontade é meio caminho andado para conseguir. Depois, sou teimosa comó raio e quando meto uma ideia na cabeça é mais fácil arrancarem-me a cabeça do que a ideia.


A sensação de cortar a meta é simplesmente inexplicável, mesmo tendo noção do meu tempo de merda. Mas se pensar que há um ano nem um quilómetro era capaz de correr sem ficar à beira de uma paragem cardíaca e que há meia dúzia de meses via-me grega para fazer uns míseros 5 kms, acho que posso sentir-me orgulhosa das minhas "2h23". E, porra, nunca tinha corrido tanto na vida!! Aliás, se me dissessem que um dia ia correr uma meia maratona eu atirava-me para o chão a rir desalmadamente.


Acho que a beleza da corrida é mesmo esta, a superação. E é impressionante como ficamos logo com o bichinho para fazer a próxima, logo eu, que fiquei com a cena das cólicas aqui bem entalada!! Disseram-me que isto só passa (o entalo) quando fizer a próxima. Porque não?

Cortar a meta (na companhia do padrinho de curso) e com cara de quem já está a conter a lágrimazinha. :D

Ainda não voltei a correr depois da prova e já me sinto a ressacar. No entanto, a minha ideia é abrandar um pouco, dedicar-me mais ao ginásio (musculação) e correr apenas uma ou duas vezes por semana (pelo menos enquanto não tiver nova data para outra prova em mente). Com o ritmo dos últimos tempos emagreci um pouco e agora há que tonificar. O meu rabo está mais caído que as mamocas da "Tchintcholina" e eu não quero cá coisas flácidas.

Hora de esticar os músculos.

Ainda sobre a Meia Maratona, não posso deixar de agradecer aos meus colegas de treino - pela motivação, se não fossem eles continuava uma lontra do pior sem conseguir correr um quilometro -, a quem aturou a minha neura e dúvidas existenciais, ao maridão e ao amigo - que ganharam um belo bronze "à trolha" só para apoiar aqui a menina e para registar o momento -, à Lilicas, à Dani e à Joaninha pelo forte apoio ao longo do percurso (Joaninha, foste incansável e mais não digo :D) e ao Luís, meu padrinho de curso, que viu-me a chegar à meta e fez questão de acompanhar-me nos últimos metros.

Ar parvo de tão feliz! =))


"Vencermos a nós próprios é a maior das vitórias" e o resto é cumbersa. :D

53 comentários:

  1. Bravo!Conseguiste o teu objectivo...foi o mais importante!
    Os meus sinceros parabéns!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Muitos Parabéns. Acho que a superação de dificuldades é aquilo que mais nos dá garra e confiança. É incrível que te tenhas preparado em tão pouco tempo, por isso volto a saudar-te.
    No entanto há sempre um mas. Acontece-me quase sempre que leio os teus textos. Dizes que mesmo em último ficarias à frente de quem não se atreve a correr uma meia maratona. O giro disto tudo é que não temos todos os mesmo objectivos, entendes? Eu corro regularmente e não tenho o MÍNIMO interesse em participar em nenhuma prova. E agora? Vais comparar-te por cima em relação a mim? Eu ando a juntar uns trocos para percorrer Itália durante um mês. Não posso vir dizer "Apanhei uma bela dor de barriga mas diverti-me mais do que os que nunca se atreverão a fazer o mesmo". É feio. Não precisas de fazer dos outros os teus degraus.
    Vai com calma, miúda. E diverte-te a correr, que é o mais importante. Parabéns, novamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! =))
      É isso mesmo, o superar as dificuldades é o que dá mais força para continuar. Quanto à preparação, as três semanas de repouso é que estragaram tudo. Tenho a certeza que se não tivesse parado, hoje, o meu ritmo seria muito melhor. Mas não vale a pena estar cá com “ses” agora, o que importa é que apesar dos obstáculos consegui cumprir com o objectivo.

      Em relação à tua observação final, digo o mesmo, vai com calma paaa! =P Ora bem… Sempre que lemos um texto de alguém temos duas hipóteses: ou lemos pelo lado positivo ou tentamos ir buscar algo de negativo nas entrelinhas. Parece-me que optaste pela segunda hipótese.
      Não fiz propriamente uma comparação, só estou a valorizar-me, porque também podia ter desistido, mas não o fiz. Sabe Deus o que aguentei, mas tentei manter-me o mais forte possível. O tal “degrau” fui eu mesma. Eu superei-me a mim e como disse no fim “vencermos a nós próprios é a maior das vitórias”. Venci o meu obstáculos, não os outros.
      Eu também não faço ideias de ir aos Jogos Olímpicos, mas admiro e valorizo quem é capaz disso. O facto de não ter esse objectivo não me impede de reconhecer o mérito, uma capacidade que eu não tenho (mas lá está, também não pretendo).

      Sim, o importante é divertirmo-nos e superarmo-nos sempre mais um pouco. OBRIGADA =)

      Eliminar
    2. Por acaso achei o mesmo. E ao dizeres que não queres ser a última, já te estás a contradizer.. não terá a pessoa que chegou em último se esforçado tanto quanto tu? Afinal, ela também foi corajosa ao tentar (e conseguir)! Eu gosto muito deste espaço e até simpatizo contigo, mas o facto de te nivelares sempre pelos outros acaba por te prejudicar. Sentes orgulho nesta meia maratona não por ti, mas por aqueles que te criticaram aqui? Ou pelos que não tiraram o rabo do sofá?
      Valoriza-te por aquilo que sabes que és e por aquilo que conquistas, nunca por aquilo que pensam, fazem ou te fazem sentir.
      Tudo de bom para ti e até a próxima meia!

      Eliminar
    3. Acho que “não querer se o último” acaba por ser o desejo mais óbvio de todos, ou até mesmo o simples “chegar ao fim” e nada tem a ver com comparações!
      Todos esforçaram-se, até mesmo os que desistiram, mas eu não estou a falar do esforço dos outros, estou a falar do meu.
      Não percebi a parte do “nivelar-me sempre pelos outros”, principalmente, quando saliento e valorizo tanto a superação pessoal, mas também não pretendo. As questões seguintes também não fazem qualquer sentido, depois de tudo o que escrevi neste post! Mas está aqui mais um exemplo de “ir buscar qualquer coisinha de negativo nas entrelinhas”. Se pretenderes ler com olhos de ver sem qualquer tipo de maldade, vais perceber que quando menciono os tais comentários desencorajadores no post, da mesma forma que mencionei a lesão logo de seguida, é no sentido de que podia ter desistido de tentar correr esta Meia. Porque as tais criticas que falas foram construtivas e, de facto, tinha pouco tempo para preparar-me como deve de ser.

      Mais amor, por favor. E volto a repetir (para que não te escape de novo), "vencermos a nós próprios é a maior das vitórias" e o resto é cumbersa.

      Obrigada, tudo de bom para ti também.

      Eliminar
  3. Parabéns!O importante é que conseguiste apesar de todas as adversidades :-) Eu ainda estou no início (corro no máximo 10 Km),mas percebo perfeitamente o que sentes :-) Bjs

    ResponderEliminar
  4. Na semana antes da prova foi um martírio! Nós fizemos um treino de 17km e a meio tive de ir ao wc tal era a vontade. Só pensava que me iria acontecer isso durante a prova. Vê a minha paranóia que até perguntei à organização como proceder nestes casos. Disseram-me que não havia problema mas que o percurso não tinha grande possibilidade de ir ao wc. Fiquei apreensiva. Felizmente, não bebi nada como tu porque já me tinha acontecido beber uma mistura dessas e ter o mesmo resultado.
    Eu ia muito bem ao km 10, com 55 minutos e acreditei que iria conseguir mas a falta de água e ao me juntar a um grupo, deixei de prestar atenção aos tempos e descontrolei-me. Ao km 18 sentia-me bastante cansada e na estação de comboio caminhei uns passinhos mas mal vi a meta logo ali à frente dei um sprint. Acabei em 2h02... Não consegui ficar muito feliz ou saborear a "vitória" porque só pensava em água...

    Mesmo antes de começar a correr achava um feito enorme fazer 21km... Nunca pensei que se faz de ânimo leve e dou todo o mérito a quem o faz só uma vez ou várias vezes. A preparação é dura mas o companheirismo e as aventuras que o grupo vive durante o treino faz com que tudo valha a pena!!!!

    Parabéns e vais ver que a próxima vai correr melhor!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A falta de água foi um erro gravíssimo da organização e a meu ver sem desculpa possível. Ainda bem que levei a mochila de hidratação, senão não aguentava MESMO. Por isso, dou os meus parabéns a quem se aguentou até ao fim sem a hidratação suficiente.

      Obrigada e parabéns a ti também pela prova e pelo esforço (será que passámos uma pela outra? :D). Se voltar a fazer uma meia o meu objectivo passará por acabar no limite das 2h! :D

      Um beijinho *

      Eliminar
    2. Só te vi mesmo no final e acho que parti um pouco mais à frente na linha de partida. O objectivo de fazer em menos de 2h continua mas sou flexível já que temos de ter em conta outros fatores. A lição da alimentação está aprendida!!! 😉 😉 😉 Um beijinho e volta logo às corridas, temos de preparar outra meia-maratona...

      Eliminar
  5. Não sou fã de corridas, de todo, e irrita-me um bocadinho esta febre do running. Mas não gostando de corridas, gosto muito de ti e por isso só posso imaginar a sensação que tiveste ao cortar a meta :) muitos, muitos parabéns mesmo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohhh tãoo fofiiinhaaaa! :D :D Obrigada mesmo =))

      Eliminar
  6. Que bom que conseguiste Bruna! Fico muito contente por ti, não interessa que fizeste mais ou menos tempo, o que importa é que conseguiste!!! Muitos Parabéns :) :)
    O importante é conseguir, mais depressa ou mais devagar, o que interessa é conseguir. :) :)

    Muitos Parabéns :)

    Beijinhos
    E.H

    ResponderEliminar
  7. Brunix!! Só tenho uma coisa a dizer.. És a maior :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daniiiii! :D :D O que era de mim sem vocês! :D OBRIGADA =))

      Eliminar
  8. continua é o que importa, as cólicas tens de ter cuidado com o que comes antes da prova.estás de parabens.
    Lembra te a vida passa a correr!
    katy

    ResponderEliminar
  9. Eu não acredito tudo forte emborcar uma cena daquelas e que nunca tinhas tomado mm dia da prova! Já fiz uma asneira em género, com um gel, que ia dando cabo de mim. Parecia que ia vomitar as entranhas. Mas não saía nada... foi terrível. Demorei 2.15, mas acabei.
    É verdade, em prova não há pausas no relógio. Conta da partida à chegada.
    Parabéns pela tua primeira de muitas provas. Agora é sempre a melhorar.
    Ana Lúcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há coisas do diabo, é só o que eu digo!!
      Um amigo avisou-me logo para não arriscar no gel por causa disso mesmo (ele tomou uma vez num trail, nunca tinha tomado antes e também sofreu horrores com cólicas). E eu pimba, não vai gel, mas vai uma mistura de frutas potentíssima, ahahahah! Agora rio-me, mas na hora...nem é bom lembrar!

      Sim, lá isso é verdade, o tempo que conta é da partida à chegada.
      Para a próxima será melhor! =))

      Beijinho e obrigada *

      Eliminar
    2. Antes de mais, muitos parabéns pela conquista =)
      E parece-me que agora já sabes que, nunca, mas NUNCA se experimentam coisas nos dias de prova. A querer experimentar (seja gel, batidos, alimentação que não a habitual) deverá ser testado em dias de treino ;) Aprendeste da pior forma :p

      Eliminar
    3. Eu agora tomo gel nas provas longas. Tem de ser e em corrida é mais fácil de engolir do que barras. Atenção que o gel tem de se tomar com água. Mas não testo nada em provas. Só em treinos. Mas claro que, mesmo sabendo a teoria, tive de fazer a asneira.
      Ana Lúcia

      Eliminar
  10. Oh gata Maria, puseste-me com a lágrima no olho e a pelugem arrepiada. Eu que até nem sou nada de corridas, fiquei com vontade de viver algo do género, mas nada de grandes incentivos, estou com alguns problemazinhos na minha coluna e, infelizmente, não me posso meter nessas aventuras das corridas. Proibida por médico e fisioterapeuta. É pá, mas estou tão orgulhosa de ti, mesmo de ❤ és a maior. Continua assim e, acima de tudo, nunca deixes de ser esse ser humano inspirador ��������

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cátiiiiaaaaa, minha linda! ='))
      Tão bom saber que quem está aí desse lado consegue sentir a nossa felicidade!
      Com a coluna não se brinca e, realmente, o impacto da corrida não é nada favorável. O que mais senti no fim desta corrida e nos dois dias seguintes, foi precisamente as dores nas costas. Mas, certamente, poderás fazer outras coisas. Porque não natação? Faz super bem e trabalhas o corpo todo.

      Obrigada MESMO pelo carinho =))
      Um beijinho enorme *

      Eliminar
    2. Gata, eu não corro mas vou ao ginásio quase todos os dias...faço cycling 😉 Esta dedicação é muito recente, estou inscrita no gym há imenso tempo, mas sair de casa para pôr lá as pernocas é que nem pensar. Mas isso era antes, agora estou uma fit assumida 😉 e digo-te já que contribuiste muito para elevar a minha motivação. Obrigada eu por teres criado este espaço maravilhoso que alegra os meus dias. Beijinhos 💋

      Eliminar
    3. Cycling é muito bom, mas por acaso é coisa que não aprecio (apesar de nunca ter experimentado, é quase como dizer que não gosto da comida X sem experimentar, ahahah)! Estar a pedalar, a pedalar, a pedalar e não sair do mesmo sitio é coisa para me levar ao tédio!

      Não imaginas como é bom saber que consigo passar para vocês um bocadinho da minha motivação. Fico mesmo contente, a sério! =)) Tenho andado mais afastada daqui, muito por andar sem tempo e mais cansada, mas também há outras pequenas coisas que me fazem estar mais "away". Mas depois vêem meninas como tu e relembram-me o "porquê" deste blog e o "porquê" de gostar tanto disto! E eu é que agradeço =))
      Beijinho enorme Cátia *

      Eliminar
  11. Raio da minha habilidade a escrever textos grandes no telemóvel. Parabéns se percebeste a primeira frase. Naturalmente queria dizer "eu não acredito que foste emborcar..."
    Ana Lúcia

    ResponderEliminar
  12. Para a proxima mete uma cenoura, que costuma ser o contrário de laxante. Para mim, pessoa que não corre, a minha primeira reação e "como se consegue correr durante 2 horas seguidas". Novamente, muitos parabéns, de certeza que vai correr melhor para a próxima e o importante é nunca desistir. Por cá, continuam as caminhadas de 45 minutos (vá, 4,25 km) que por enquanto correr não é comigo xD
    Beijinhos

    porondeandaasofia.blogspot.com

    PS: adoro como ficou também agora na moda consumir chu-chu (ou pimpinela para a malta madeirense). Há uns tempos diziam que eram comida de porco e chegavam a gozar comigo por comer, agora tornou-se in. Que bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para a próxima? Para a próxima não cá batidos nem meio batidos!! Eheheheh!
      Acredita que nem dás conta do tempo passar! Quem estava à minha espera na meta é que deve ter desesperado, ahahah! :D
      Caminhadas já é muito bom. Experimenta começar a intervalar com corrida, tipo, um quilometro a caminhar, um a correr, um a caminhar, um a correr...! Vais ver que vais ganhando ritmo e depois até vais achar as caminhadas uma seca! Ihihih!

      Beijoca *

      P.S.: mas a sério que está na moda? E também tem esse nome, pimpinela?! Já como chuchu há imenso tempo na sopa, a minha mãe tem sempre lá em casa e é uma boa alternativa à batata!

      Eliminar
    2. Sim, agora é assunto na faculdade! Há praí 5 anos, quando eu entrei, nem sequer sabiam o que é. Eu sempre comi, porque sempre tive em casa e lá está é muito saudável.
      Vou tentar aventurar-me nesse mundo de corridas xD

      Eliminar
    3. Eu já uso chuchu na sopa há imenso tempo!

      Eliminar
  13. Esteticamente, fica feio escrever "que viu-me a chegar à meta e fez questão de acompanhar-me nos últimos metros". É mais apelativo e mais bonito "que me viu a chegar à meta e fez questão de me acompanhar". É algo que reparo que fazes com muita frequência e, sendo um pouco grammar nazi, me chateia um bocadinho. Porque gosto mesmo de ti e do teu blog, mas isto irrita-me um bocadinho, sorry :) Fora isso (que são picuinhices, eu sei, mas queria mesmo dizer - não me leves a mal!), fico muito contente com a tua superação e por teres realizado mais um objetivo! Não imagino o que será correr tanto tempo seguido, tantos quilómetros... Eu, que mal corro 10 minutos e quase morro, fico com inveja (da boa!). Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tens nada que pedir desculpa! =) Os tracinhos, e "-se", e "sse", e "me", e "-me" são o meu eterno calcanhar de Aquiles!
      E se gostas muito de mim, as tuas "picuinhices" são muito bem-vindas. Mas só porque gostas muito de mim! =P =D
      As palavras esgotam-se para agradecer o vosso carinho. OBRIGADA =))

      No inicio, correr 5 quilómetros também parecia uma eternidade. Mas com o tempo vais ganhando força, resistência e depois ritmo...vais-te superando aos pouquinhos e a corrida acaba num vicio bom! Depois podes correr, 10, 15, 20 kms e demorares o tempo que demorares que nem dás conta!

      Beijinho grande e OBRIGADA mais uma vez *

      Eliminar
    2. Primeiro, a forma de escrita não é, de todo, gramática, mas sim sintaxe. Segundo, não se trata de ser mais bonito esteticamente, mas sim a forma como deve ser escrito, até porque, há regras a ser aplicadas na escrita de um texto e que devem ser respeitadas.

      Eliminar
    3. Deixe lá que este seu comentário também é um primor de sintaxe.

      Eliminar
  14. Ora muito bem para além de tudo o que já escrevi logo no dia em que publicaste a primeira foto da consagração no instragram, hoje quero dar-te os parabéns, outra vez, e dizer-te que és um exemplo para quem tem o "traseiro" colado ao sofá. Dizer-te que adorei este relato que me emocionei (a força de vontade e o cumprir de objectivos pelos outros têm este efeito e, mim... já sei, sou uma mariquinhas, assumida!) que as tuas expressões são bem elucidativas da alegria e esforço que estavas a sentir e que no final o que interessa és mesmo e só tu;) Nunca corri desta forma mas já fui campeã nacional (long time ago...) de curtas distancias, 100 metros, ou seja era mais velocidade que resistência. Fui praticante de artes marciais e até há bem pouco tempo de taichi (que A-DO-RO e recomendo). Sei o que é saborear essa superação e dizer que é uma adrenalina que dificilmente voltei a sentir na minha vida. Portanto és de facto a maior, só tu é que importas (os outros que vão até ali coçar os cotovelos à parede...) e que continues com muita saúde e essa alegria contagiante. A Sô Dona Gata é LINDAAAAAAAAAAAA;) Beijinhos (QB sempre)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre adorei desporto e sempre fiz por participar na mais variadas actividades. Não sei se já partilhei aqui, mas na hora de escolher a área no 10º ano cheguei a preencher os papeis para cientifico-natural (na altura chamava-se assim) vertente desporto, mas fui influenciada a seguir os números e lá tive de alterar tudo. Não me arrependo, mas não deixo de sentir inveja (da boa) daqueles que trabalham a motivar pessoas e a fazer melhor por elas! Por gostar tanto de desporto é que não entendo quem "está nem aí"! E por gostar tanto disto é que não quero deixar de partilhar. E por gostar tanto disto é que fico aos pulos de alegria quando recebeo mails/mensagens/comentários a dizer que decidiram mudar hábitos e que eu contribui para essa mudança. Enfim, todo este lado deixa-me verdadeiramente feliz e naquele dia, apesar de todos os receios (que neste mundo fazem sempre parte), sentia-me como um peixinho na água. As fotos não mentem! =))

      E deixa estar que já somos duas mariquinhas, eu emociono-me por tudo e por nada! :D
      Gostei muito de conhecer esse teu lado mais activo!

      E sim, nisto, só eu importa mesmo, embora tenham tentado dar a volta às minhas palavras. Mas penso que fui muito clara! =)

      Obrigada pelo carinho Cláudia (ai que isto já ultrapassa todas as barreiras da intimidade, ahahah :D)!
      Beijoca *

      P.S.: Também já respondi ao comentário de ontem. Ontem à noite, andava a empacotar e pelo meio ia tentando retribuir a vossa atenção, mas não consegui responder a todos (parecia uma barata tonta, eheheh).

      Eliminar
  15. Parabéns Bruna, o ar de felicidade da última foto diz tudo!!!!

    ResponderEliminar
  16. Eu preparei-me tanto para a minha primeira Meia que acabei por não conseguir ficar em êxtase no dia em que a fiz. Isto porque fiz treinos a chegar aos 18km e inclusive fiz a prova "20 km de Almeirim" um mês antes da primeira Meia, que acabou por ser a minha estreia nesse campo das distâncias longas em corridas oficiais. Mas os 20 km de Almeirim fi-los sempre numa velocidade muito confortável porque tinha muito medo de gastar toda a energia ao início e não conseguir chegar ao fim. E quando cheguei ao fim, foi uma sensação de "morrer na praia", porque tinha feito 20km, e não 21, mas mesmo assim fiquei super feliz. Mas com isto, no dia em que fiz efetivamente a Meia Maratona não deu para ficar mega entusiasmada porque não soube bem a estreia. Até comentei com a minha parceira, em tom de brincadeira "Oh caraças, nem uma lagrimita de emoção consegui derramar, que desilusão" =). Mas que é uma sensação maravilhosa, é, e depois de 5 provas longas continua a ser =). E sabes que mais? Fiz a da Ponte 25 de abril, em março, e já fazia bem outra ;)!

    ResponderEliminar
  17. Parabéns. gatuxa ;)
    De facto, o poder da mente é soberbo... Tal como parece ser a tua força de vontade e dedicação.
    Continua assim e tenho a certeza que vais ser muito feliz pela vida fora... Quanto as comentários maldosos, são apenas só isso, muito provavelmente de pessoas que não fazem o mínimo esforço para serem melhores e que quase morrem de inveja com os feitos dos outros... E o quão incrível é dançarmos na cara dos "inimigos"!??? :D Mega beijo.
    Sofia.

    ResponderEliminar
  18. Duas palavras para ti...Trail Running. Experimenta que é muito melhor que correr em estrada. Eu já abandonei as provas de estrada e só faço Trail...

    ResponderEliminar
  19. Muitos parabéns Gata!
    Tinhas um objetivo e cumpriste-o :)

    nem mais nem menos | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  20. Nunca vivi a mesma experiência, mas entendo :) Parabéns!

    http://www.mykindofjoy.com/

    ResponderEliminar
  21. Conheço bem essa sensação e revi-me no teu post.
    Fiz os meus primeiros 21km na meia maratona do Porto, com muito pouca preparação. Mas fiz, cheguei ao fim, cortei a meta, fartei-me de chorar por ter conseguido... apenas demorei um pouco mais do que tu: 2h53min (disto tb nunca mais me esquecerei).
    Beijinhos
    laburguesinha.wordpress.com

    ResponderEliminar
  22. Não corro! Mas sempre gostei de ler estes relatos! Muitos parabéns; venha a maratona ;P

    Days of Blues

    ResponderEliminar
  23. Olá Gata,

    A suspeita do costume...a Susana, dos posts de corrida.
    Antes de mais, muitos parabéns e bem-vinda ao clube dos meia-maratonistas. Só quem já cruzou a meta depois de 21km consegue dar valor a cada uma das tuas palavras.
    Deixa-me partilhar a minha experiência este ano, na Meia Maratona de Lisboa.
    3 semanas antes, tal como tu, no treino longo dos 18k, senti uma dor no joelho. Depois de avaliação professional, temeu-se que o menisco não aguentasse. Parada até à prova, com sessões de fisioterapia e muitos anti-inflamatórios (para quem corre, sabe que tomar medicação antes das provas, influência o rendimento).
    Foram os meus primeiros 21KM, mas já fiz largas dezenas de provas de 10km, de 17km e de 20km, pelo que a questão da alimentação está mais treinada...e felizmente nunca tive problemas gástricos.
    Fui para a prova com um nervosismo anormal, quer pelo "peso" dos 21Km (coisa parva, pois já tinha feito 20km), quer pelas condições físicas, que sabia não serem as melhores.
    Tal como tu, sou teimosa...tão teimosa! Teimosa ao ponto de me ter enfiado numa ponte alta como o caraças, pronta para correr 21km, sabendo que podia acabar muito mal.
    Fui com a minha melhor amiga, também companheira de treinos e corridas...fui com o nosso mentor, homem que já fez 14 MARATONAS!Lá podia eu ficar em casa!!
    Os 10km iniciais correram bem, feitos em 50 minutos...sem dores, tudo magnífico...e de repente, esqueci-me de repor energias! Estava tão entusiasmada e a absorver tudo, que me esqueci de comer a barra energética. E todos os meus níveis glicémicos cairam a pique...bem comi, e reforcei, mas o mal estava feito. Depois disso, comecei a pensar no joelho, e que tinha uma dorzita aguda mas suportável...e pronto, aos 12km quis desistir.
    Quando mentalmente deixamos de ser fortes, tudo se torna mais penoso. E assim foi...uma luta interior entre o querer desistir porque estava com dores, e o orgulho de querer chegar a casa e dizer ao homemm: "tens uma mulher que corre 21km!!! E fui neste constante tormento interior até ao km 19...por esta altura, confesso: soltei uma valente combinação de asneiras, chamei-me alguns nomes e decidi NUNCA desistir...
    E assim foi! 2:28:30s...foi o meu tempo...depois de ter feito os 10km iniciais em 50m. Isto diz tudo sobre o estado mental em que me encontrava.
    Entretanto, já me inscrevi para mais duas meias este ano...e a maratona que me aguarde!

    Não pares...não percas a embalagem. Depois custa muito mais voltar! Beijinhos

    ResponderEliminar
  24. Pelo q li nos comentarios percebi que não houve abastecimentos. Se assim foi que grande erro e irresponsabilidade da organizacao...

    ResponderEliminar
  25. Uma pessoa deixa de vir aqui uns dias e quando volta a rapariga já correu uma meia.. Really?? Ahaha PARABÉNS!!! :D Aqui a lontra até ficou com uma lágrima no canto do olho com a tua descrição, fico mesmo muito feliz por ti! :)
    Eu que não corro mais de 10 metros fiquei cheia de vontade de ir correr jáaaaa! O que tu me fazes ehehe :P
    Parabéns pela determinação e por teres conquistado algo que querias tanto! Obrigada pela inspiração! Beijinhos
    Raquel

    ResponderEliminar
  26. Ai mulher, que misturas foste fazer...Mas aguentaste-te como gente grande e isso e o que interessa. Parabens.Bjs

    ResponderEliminar
  27. Conseguiste chegar ao fim, o que é muito importante. Muitos parabéns, da próxima correré melhor ;).
    Beijinhos.

    misscokette.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  28. Fico mesmo feliz por ti!4

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar
  29. Deve ser uma sensação incrível e indiscriminável o cortar da meta e apesar dos contratempos estás de parabéns :) Agora já sabes o que não comer ao pequeno-almoço antes de uma prova :P
    Eu por enquanto só corro entre 4 a 5km em 30/40 minutos respectivamente. Provavelmente nunca irei correr 21, mas nunca se sabe :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Voltei aqui e dei de caras com o meu "indiscriminável" XD O que eu queria ter dito era "indescritível"!

      Eliminar
  30. Parabéns. Estás mesmo de parabéns :) Haverão sempre os pipipis e os mimimis dos que nuncam tentam e invejam [insconscientemente, espero] o feito. A corrida é tão mais do que o físico. Quem não corre, ou nunca se desafia, não entende a perseverança e a luta de quem corre mais um quilómetro, depois outro, depois ainda mais outro. Correr é ir para dentro de nós, de todos os nossos medos e limites e derrubá-los um a um, numa crença de que somos capazes. E tu foste capaz. Parabéns e um beijinho.

    ResponderEliminar