#

segunda-feira, 23 de abril de 2018

"Sobre o Amor"


um livro que mostra como somos fruto das nossas vivências 

Sempre tive curiosidade em ler algo de Daniel Oliveira. Não o conheço, nem tão pouco o vi ao vivo e a cores, mas todos nós formamos primeiras impressões das pessoas à nossa volta e a minha primeira impressão dele sempre foi positiva. É verdade que as pessoas enganam (oh se enganam!), mas Daniel Oliveira transmite mesmo ser boa pessoa. Habituada a vê-lo no Alta Definição, gosto da forma calma e serena como aborda e entrevista cada convidado, sempre tão emotivo e com aquele olhar que abraça.

E se li "O Prodígio" em duas semanas, este li em dois dias e meio (Bruna Costa és tu?!). Para ter lido em tão pouquíssimo tempo (eu, aquela pessoa que até há bem pouco tempo andava um ano inteiro com o mesmo livro em cima da mesinha de cabeceira), das duas três: ou é muito bom ou é muito mau.
Bom, a história em si - de Frederico e Paola - não me cativou. Talvez o facto da minha leitura anterior ter sido tão forte e absolutamente envolvente, tenha colocado os níveis literários bem lá no alto e tenha acabado por influenciar a forma como peguei neste livro.

"que farei depois de te amar?"

Ainda assim, não consigo dizer um "não recomendo" e não, não é apenas por simpatizar com o autor, mas também pelo seu potencial notório. Daniel Oliveira é muito inteligente com as palavras e foi o que realmente me cativou neste livro, o que acabou por tornar a leitura tão fluída e rápida. Os sentimentos e pensamentos que expôs através dos personagens. A capacidade de nos fazer pensar e reflectir sobre a vida. O seu raciocínio. Cada analogia. Talvez esta capacidade de saber tocar com as palavras tenha muito a ver com o facto de ser conhecedor de tantas e tão diferentes histórias de vida (reais).

O livro retrata o amor não de uma forma lamechas, mas sob um ponto de vista mais profundo e dramático. Talvez mais realista também. Não querendo dar uma de spoiler, o final é bastante emotivo, muito por não ser cliché e este é outro dos pontos a favor do livro.

E prontos, a modos que é isto. Abril é mesmo o mês do livro. Terminei um que comecei no finalzinho de Março ("A Arte de Saber Dizer que se F*da"), li o "O Prodígio", li este e já comecei o "Rapto Escaldante" de Sandra Brown. Volto a lembrar: eu, aquela pessoa que até há bem pouco tempo passava um ano inteiro com o mesmo livro na mesinha de cabeceira.

E antes de dar de frosques, deixo-vos com algumas frases interessantes/inspiradoras do livro:

"- O amor é mais como o vento.
- É como o efeito que resulta do sopro do vento numa vela de um barco, num canavial ou em folhagens de palmeira. Só conhecemos o vento pelo seu efeito, não pelo que é. O amor é assim."

"(...) na vida é importante saber identificar e fruir da serendipicidade, quando temos a sorte de ela nos acontecer. (...) Serendipicidade é uma especie de dom de fazer boas descobertas por acaso, de atrair oportunidades favoráveis de maneira fortuita"

"Muitas vezes, a forma como os outros nos definem é para se sentirem bem consigo próprios, é-lhes mais confortável resolver todas as duvidas sobre aquela pessoa, ajuizando em causa própria."

"O acaso, pseudónimo de Deus, quando não quer assinar."

"Existe uma ocasião para tudo. E para todos. E todo o tempo é certo. A sabedoria está em descobrir a razão para a qual o mesmo se torna certo."

"Se nos tivessem dito que ia ser assim, não teria sido."

"O amor que tem armas para salvar, tem-nas também para destruir."

"Boa parte da felicidade ao longo da vida vem de não sermos tomados pelo que não podemos controlar."

"Tudo o que existe no mundo só existe na medida do que racionalizarmos sobre isso."

"A felicidade muitas vezes reside na frieza da abstracção."

"Todas as hipóteses me passaram pela cabeça, e como acontece a quem pensa de mais nas coisas, sofre-se mais com o hipotético do que com o concreto."

"Amar é deixar o amor ser."

5 comentários:

  1. Já tive oportunidade de o ver ao vivo duas vezes: quando lançou A Fórmula da Saudade e, mais recentemente, quando lançou Sobre o Amor. E fiquei fascinada! Tal como tu, sempre tive uma opinião positiva sobre ele e, de facto, essa calma que ele transmite é bem real. Além disso, o seu discurso é envolvente; é e de uma humildade que não passa despercebida.
    Já li os 3 romances e adorei todos, precisamente pela sua escrita *.*

    ResponderEliminar
  2. uma pessoa olha para estas escolhas literárias e... enfim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma pessoa olha para este tipo de comentários e... enfim!
      Quando é que as escolhas literárias dizem alguma coisa de alguém?? Santa paciência para este tipo de gente!

      Vá apanhar sol, a falta de vitamina D deve lhe dar para esse azedo todo!

      Eliminar
  3. adorei o post!!
    beijinhos

    |último post|
    http://eyeelement.blogspot.pt/2018/04/4-ootd-do-instagram.html

    ResponderEliminar
  4. Ai por amor de Deus. Tanto cliché junto.

    ResponderEliminar