#

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Experiência de quase morte

Foi o que sucedeu no passado sábado à noite. Qual é a probabilidade de uma qualquer pessoa ser chamada ao palco? Uma no meio de toda a plateia. Qual é a probabilidade da MINHA ilustre pessoa ser chamada ao palco? Segundo Laplace e baseado no Teorema de César Mourão, é total. Ca p*ta de sorte, valha-me Deus. Logo eu, aquela pessoa que panica só de pensar que tem de falar à frente de mais de três pessoas, fará em cima de um palco de micro na mão com luzes viradas à tromba e centenas de pessoas à espera de ver quando é que vou dar o espectáculo de cair do palco abaixo. Ser o centro das atenções não é para mim, definitivamente. Não sei lidar. E quando se tem um César Mourão à frente, o senhor do improviso, é caso para ter medo, muito medo. Assim que vi aquele dedo indicador a apontar na minha direcção e "aquela menina ali" quase faleci.


Estava o pânico instalado. Ainda olhei para um lado e para o outro...


Mas não, era mesmo para mim. Desejei que o Hélder Guimarães - o primeiro artista da noite - me fizesse desaparecer num truque de magia. Num misto de "socorro tirem-me daqui" e "ai o que é que o gajo quer" lá me levantei e desci as escadas com o máximo dos cuidados para não me espatifar mesmo antes de pisar o palco. Tinha toda uma meia glamorosa e cintilante mesmo a pedir forrobodó e foi por aí mesmo que o gajo pegou. "Tem um meia muito bonita" (isto, pasmado a olhar para as pernas e eu a ficar vermelha como um tomate), "com brilhantes" (olha para cima e volta a olhar para baixo), "mesmo a agarrar aos sapatos" (pandã, filho, chama-se pandã). Nisto, seguiu-se um pequeno interrogatório e quase só faltou perguntar quantas vezes fazia o amor.

E vocês perguntam: "afinal, o que é que o gajo queria?". Basicamente, pediu ao publico para dizer uma profissão qualquer e ele teria de inventar uma história à volta dessa profissão. Pelo meio ele fazia sinal para eu dizer uma letra qualquer do abecedário e teria de continuar o que estava a contar a partir de uma palavra que começasse pela letra que eu disse. Tentei lixa-lo ao dizer "Y", mas sem sucesso.

Dramas existenciais à parte, adorei o espectáculo, foi a primeira vez que assisti a comédia de improviso e não preciso conhecer mais ninguém dentro da área para afirmar que o César Mourão é mesmo um artista do caraças bem como o mágico Hélder Guimarães. Sou menina para voltar a assistir a algo do género, desta feita, devidamente preparada para o pior (e sem meias fashion).

Restam estes dois vídeos para a prosperidade.




12 comentários:

  1. Não conheces o humor do Mourão, pois não? Ele não estava pasmado com as tuas pernas, mulher, ele estava a fazer humor. Deixa de te sentir a última bolacha que te fica tão mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério? A SÉÉÉÉRIO?! Vocês cansam-me pá!
      Eu sei que o homem estava a fazer humor, que não estava pasmado pelo facto das minhas pernas serem boas ou más, estava SÓ a fazer humor que era para isso que ali estava. Eu apenas descrevi a situação e a postura do homem (para fazer humor!!!) era de pasmado, mas estava a fazer humor, mas sim estava pasmado, mas sim estava a fazer humor. Nuuuunca na vida ousei gabar-me das pernas. Não te enerves, sim?

      Eliminar
    2. E o anónimo não conhece a gata! :) De facto, a 1ª interpretação e à distância, o "pasmar" pode suscitar a isto mas pelo restante texto se percebe a humildade da gata.

      Não seja mau só porque sim... Respire fundo!

      Eliminar
  2. Imagino Gata! Eu ia morrer do coração!!!
    Sara

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. Foi um evento privado da empresa. Não dá na TV.

      Eliminar
  4. Gatita, há alguma hipótese de transcreveres os vídeos? É que eu estou aqui a morrer de curiosidade porque não entendo patavina do que o homem está a dizer ahah.

    ResponderEliminar
  5. Gata, esta menina anónima com o César Mourão nos Commedia a La Carte:

    1ª ano: Chama 2 pessoas ao palco e eu só penso "nunca conseguiria. nunca. era impossível para mim."
    2ª ano: Chama "aquela" (esta!!!) menina aqui. Morri, perdi as forças nas pernas, eu sei lá. Fui, não descontrai, sai a tremer.
    3ª ano: Again. Chama "aquela" (esta!!!) menina aqui. Eu penso que estava a brincar... Subi ao palco e ele diz "à 2a é mais fácil." :o Como assim, lembra-se?!? Descontrai no mesmo segundo e foi a parodia total.

    É MESMO O MAIOR.

    ResponderEliminar
  6. Tanta coisa para isto. Vamos simplificar,sim.
    As pernas eram boas, a dona das mesmas de nada tem de feia até deslumbra e a noite foi bem passada com César Mourão e os demais

    ResponderEliminar
  7. Ele é um senhor!
    Eu morria de vergonha, ficava logo um tomate.
    Muito giro!

    Beijinhos
    E.H

    ResponderEliminar